Exames

A  B   C   D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  

C1-QTT - INIBIDOR DE C1 ESTERASE QUANTITATIVO - SANGUE

PRAZO: 7.00
NOME DO EXAME: C1S ESTERASE INIBIDOR QUANTITATIVO * NÃO COLHER AOS SÁBADOS E VÉSPERA DE FERIADOS * SETOR : TERCERIZADO.
ROTINA DIARIA ( 7 DIAS ) SINONÍMIA: C1S ESTERASE INITIVADOR, C1S ESTERASE INH, C1S ESTERASE INIBIDOR ANTIGÊNICO, TESTE EDEMA ANGIONEURÓTICO HEREDITÁRIO, TESTE DE HANE MÉTODO : TURBIDIMETRIA PREPARO : * JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO * COLHER, COAGULAR, CENTRIFUGAR, SEPARAR E CONGELAR IMEDIATAMENTE MATERIAL: SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL DE SORO.
INTERF.
: LIPEMIA, HEMÓLISE INTENSA E DESCONGELAMENTO DA AMOSTRA CONSERV.
: ENCAMINHAR NO MESMO DIA DA COLETA TRANSPORTE : CONGELADO REJEIÇÃO: AMOSTRAS DESCONGELADAS APLIC.
CLÍNICA: É UMA PROTEINA DE FASE AGUDA, INIBIDORA DE PROTEASES, PRESENTE NO SORO E PLASMA DE INDIVIDUOS NORMAIS.
TEM PAPEL REGULADOR NAS ENZIMAS DO COMPLEMENTO, COAGULAÇÃO E FIBRINÓLISE.
A SUA DEFICIÊNCIA LEVA AO EDEMA ANGIONEURÓTICO.
DUAS FORMAS DESSA DEFICIÊNCIA SÃO DESCRITAS: A FORMA CONGÊNITA E A ADQUIRIDA.
A FORMA CONGÊNITA, O ANGIOEDEMA HEREDITÁRIO, É CARACTERIZADA POR EPISÓDIOS RECORRENTES DE EDEMAS, HAVENDO DEFICIÊNCIA QUANTITATIVA DA C1S ESTERASE INIBIDOR.
NAS FORMAS ADQUIRIDAS, MUITAS VEZES ASSOCIADAS A VARIAS DOENÇAS, INCLUSIVE LINFOMAS, É COMUM OCORRER A DEFICIÊNCIA FUNCIONAL, PODENDO SER ENCONTRADOS NÍVEIS NORMAIS OU AUMENTADOS DE C1 ESTERASE INIBIDOR.


C1Q - COMPLEMENTO C1Q

PRAZO: 10.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : IMUNOENSAIO ENZIMÁTICO PREPARO : * JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO * APÓS COLETA DEIXAR SANGUE A TEMPERATURA AMBIENTE POR 30 MINUTOS * CENTRIFUGAR 10 MINUTOS, SEPARAR SORO E CONGELAR IMEDIATAMENTE MATERIAL: SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL INTERFERENTES: HEMÓLISE, LIPEMIA EXCESSIVAS CONSERVAÇÃO:ENCAMINHAR NO MESMO DIA DA COLETA TRANSPORTE: CONGELADO REJEIÇÃO : DESCONGELAMENTO NO TRANSPORTE

C2 - IGE ESPECIFICO PARA PENICILINA V - C2

PRAZO: 12.00
SETOR : TERCERIZADO.
METODO : QUIMIOLUMINESCÊNCIA PEPARO : JEJUM DE 4 HORAS MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

C201 - IGE MULTIPLO PARA CEFALOSPORINAS (C201)

PRAZO: 15.00
Jejum não obrigatório.


C207 - IGE ESPECIFICO ACIDO ACETIL SALICILICO

PRAZO: 18.00
SETOR : TERCERIZADO.
METODO : RADIOIMUNOENSAIO PREPARO : JEJUM DE 4 HS MATERIAL: SORO.
RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

C209 - IGE ESPECIFICO PARA PARACETAMOL - C209

PRAZO: 25.00
SETOR : TERCERIZADO.
METODO : RADIOIMUNOENSAIO PREPARO : JEJUM DE 8 H0RAS MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

C212 - IGE ESPECIFICO PARA ERITROMICINA

PRAZO: 10.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
FEITO DIÁRIO METODO : IMMUNOCAP - FLUOROIMUNOENSAIO PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 2,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO ATÉ 7 DIAS 2° A 8° OU CONGELADO TRANSPORTE: REFRIGERADO VALOR DE REFERÊNCIA: CLASSE 0: MENOR QUE 0,35 KU/L CLASSE 1: 0,35 A 0,70 KU/L CLASSE 2: 0,70 A 3,50 KU/L CLASSE 3: 3,50 A 17,50 KU/L CLASSE 4: 17,50 A 50,00 KU/L CLASSE 5: 50,00 A 100 KU/L CLASSE 6: MAIOR QUE 100 KU/L INTERPRETAÇÃO: CLASSE 0 = NEGATIVO CLASSE DE 1 A 6 = REAGENTE APLIICAÇÃO CLÍNICA : O TESTE É USADO PARA IDENTIFICAR O PROVAVEL ALERGENO RESPONSÁVEL PELA MANIFESTAÇÃO CLINICA EM PACIENTE ATÓPICO.
HÁ CORRELAÇÃO COM O NÍVEL DE IgE TOTAL, APÓS AFASTAR POSSIBILIDADE DE PARASITOSE.
QUANTO MAIOR O TÍTULO, MAIOR A SENSIBILIZAÇÃO DO INDIVÍDUO.
REAÇÕES FALSO POSITIVAS, PODEM OCORRER PELA LIGAÇÃO INESPECÍFICA DE ANTICORPOS IgE A POEIRAS ORGÂNICAS E EXTRATOS DE ALIMENTOS.
FALSO NEGATIVOS PODEM OCORRER POR BAIXOS NÍVEIS DE IgE NÃO DETECTADOS PELO ENSAIO.


C232 - IGE ESP XYLOCAINA (LIDOCAINA) - C232

PRAZO: 18.00
SETOR : TERCERIZADO METODO : RADIOIMUNOENSAIO PREPARO : JEJUM DE 4 HS MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO ENTRE 2º E 8º C, OU CONGELADO POR ATÉ 3 MESES TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO : AMOSTRA INSUFICIENTE E CONSERVAÇÃO INADEQUADA

C279 - IGE ESPECIFICO PARA TARTRAZINA (C279)

PRAZO: 20.00


C281 - IGE ESPECIFICO PARA DICLOFENACO

PRAZO: 10.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
FEITO DIÁRIO METODO : RADIOIMUNOENSAIO PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVACAO: REFRIGERADO ATÉ 7 DIAS DE 2° A 8° OU CONGELADO: 3 MESES TRANSPORTE: REFRIGERADO VALOR DE REFERÊNCIA: CLASSE 0: MENOR QUE 0,35 KU/L CLASSE 1: 0,35 A 0,70 KU/L CLASSE 2: 0,70 A 3,50 KU/L CLASSE 3: 3,50 A 17,50 KU/L CLASSE 4: 17,50 A 50,00 KU/L CLASSE 5: 50,00 A 100 KU/L CLASSE 6: MAIOR QUE 100 KU/L INTERPRETAÇÃO: CLASSE 0 = NEGATIVO CLASSE DE 1 A 6 = REAGENTE APLIICAÇÃO CLÍNICA : O TESTE É USADO PARA IDENTIFICAR O PROVAVEL ALERGENO RESPONSÁVEL PELA MANIFESTAÇÃO CLINICA EM PACIENTE ATÓPICO.
HÁ CORRELAÇÃO COM O NÍVEL DE IgE TOTAL, APÓS AFASTAR POSSIBILIDADE DE PARASITOSE.
QUANTO MAIOR O TÍTULO, MAIOR A SENSIBILIZAÇÃO DO INDIVÍDUO.
REAÇÕES FALSO POSITIVAS, PODEM OCORRER PELA LIGAÇÃO INESPECÍFICA DE ANTICORPOS IgE A POEIRAS ORGÂNICAS E EXTRATOS DE ALIMENTOS.
FALSO NEGATIVOS PODEM OCORRER POR BAIXOS NÍVEIS DE IgE NÃO DETECTADOS PELO ENSAIO.


C2GG - CURVA GLICEMICA 4 HORAS 5 DOSAGENS

PRAZO: 3.00
*** ATUALIZADO EM 22/05/2007 MARCOS TÚLIO *** NOME DO EXAME CURVA DE TOLERÂNCIA A GLICOSE 4 HORAS SETOR : SM.
FEITO DIÁRIO ( 2 DIAS ) SINONÍMIA: CURVA TOLERÂNCIA CLÁSSICA METODO : ENZIMATICO AUTOMATIZADO PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MANTER DIETA HABITUAL COLETA : COLHER JEJUM.
ADMINISTRAR A QUANTIDADE DE DEXTROSOL ESPECIFICADA PELO MÉDICO E COLHER OS PONTOS DE ACORDO COM AS ETIQUETAS: BASAL, 60, 120, 180 E 240 MINUTOS.
MATERIAL : SANGUE ( PLASMA) CENTRIFUGAR ATÉ NO MÁXIMO 40 MIN APÓS COLETA, SEPARAR E REFRIGERAR.
RECIPIENTE: TUBO COM FLUORETO VOLUME : MÍNIMO 1 mL INTERF.
: HEMÓLISE, LIPEMIA CONSERV.
: TUBO DE SORO: ATÉ 12 HORAS REFRIGERADO FLUORETO: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO CRITÉRIOS REVISADOS PARA O DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS 1- SINTOMAS + GLICEMIA PLASMÁTICA ALEATÓRIA SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL 2- GLICEMIA APÓS 8 H DE JEJUM SUPERIOR OU IGUAL A 126 MG/DL 3- GLICEMIA 2 H APÓS DEXTROSOL SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL CADA UM DOS CRITÉRIOS ACIMA DEVE SER CONFIRMADO POR QUALQUER UM DOS TRÊS CRITÉRIOS EM DATA SUBSEQUENTE.
APLIC.
CLÍNICA: TESTE UTILIZADO PARA DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS.
VALORES ACIMA DE 200MG/DL SÃO DIAGNÓSTICOS DESDE QUE CONFIRMADOS EM OUTRA AMOSTRA.
OS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA DIABETES MELLITUS SÃO: - GLICEMIA DE JEJUM MAIOR QUE 126MG/DL - GLICEMIA 2 HORAS APÓS 75G DE DEXTROSOL MAIOR QUE 200MG/DL - GLICEMIA A QUALQUER HORÁRIO SUPERIOR A 200MG/DL, ACOMPANHADA DE SINTOMA COMO POLIÚRIA, POLIDIPSIA E PERDA DE PESO.
QUALQUER ACHADO POSITIVO DEVE SER CONFIRMADO EM OUTRA AMOSTRA PARA DIAGNÓSTICO.


C2GG5 - CURVA GLICEMICA 5 HORAS 6 DOSAGENS

PRAZO: 3.00
*** ATUALIZADO EM 22/05/2007 MARCOS TÚLIO *** NOME DO EXAME CURVA DE TOLERÂNCIA A GLICOSE 5 HORAS SETOR : SM.
FEITO DIÁRIO ( 2 DIAS ) METODO : ENZIMATICO AUTOMATIZADO PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MANTER DIETA HABITUAL COLETA : COLHER JEJUM.
ADMINISTRAR A QUANTIDADE DE DEXTROSOL ESPECIFICADA PELO MÉDICO E COLHER OS PONTOS DE ACORDO COM AS ETIQUETAS: BASAL, 60, 120, 180, 240 E 300 MINUTOS.
DEXTROSE: CRIANÇA-1,75 g/KG PESO MÁXIMO: 75g VIA ORAL MATERIAL : SANGUE ( PLASMA) CENTRIFUGAR ATÉ NO MÁXIMO 40 MIN APÓS COLETA, SEPARAR E REFRIGERAR.
RECIPIENTE: TUBO COM FLUORETO VOLUME : MÍNIMO 1 mL INTERF.
: HEMÓLISE, LIPEMIA CONSERV.
: TUBO DE SORO: ATÉ 12 HORAS REFRIGERADO FLUORETO: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO CRITÉRIOS REVISADOS PARA O DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS 1- SINTOMAS + GLICEMIA PLASMÁTICA ALEATÓRIA SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL 2- GLICEMIA APÓS 8 H DE JEJUM SUPERIOR OU IGUAL A 126 MG/DL 3- GLICEMIA 2 H APÓS DEXTROSOL SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL CADA UM DOS CRITÉRIOS ACIMA DEVE SER CONFIRMADO POR QUALQUER UM DOS TRÊS CRITÉRIOS EM DATA SUBSEQUENTE.
APLIC.
CLÍNICA: TESTE UTILIZADO PARA DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS.
VALORES ACIMA DE 200MG/DL SÃO DIAGNÓSTICOS DESDE QUE CONFIRMADOS EM OUTRA AMOSTRA.
OS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA DIABETES MELLITUS SÃO: - GLICEMIA DE JEJUM MAIOR QUE 126MG/DL - GLICEMIA 2 HORAS APÓS 75G DE DEXTROSOL MAIOR QUE 200MG/DL - GLICEMIA A QUALQUER HORÁRIO SUPERIOR A 200MG/DL, ACOMPANHADA DE SINTOMA COMO POLIÚRIA, POLIDIPSIA E PERDA DE PESO.
QUALQUER ACHADO POSITIVO DEVE SER CONFIRMADO EM OUTRA AMOSTRA PARA DIAGNÓSTICO.


C303 - IGE ESPECIFICO PARA PROCAINA (NOVOCAINA) - C303

PRAZO: 20.00
SETOR : TERCERIZADO.
METODO : RADIOMUNOENSAIO PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO5

C304 - IGE ESPECIFICO PARA PIROXICAM - C304

PRAZO: 20.00
SETOR : TERCERIZADO.
METODO : RADIOMUNOENSAIO PREPARO : JEJUM DE 8 H0RAS MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

C309 - IGE ESPECIFICO PARA CEFALEXINA

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : QUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1 ML CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO ATÉ 7 DIAS DE 2° A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

C71 - IGE ESPECIFICO PARA INSULINA BOVINA - C71

PRAZO: 12.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO :QUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO : JEJUM DE 4 HORAS MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO ATÉ 7 DIAS 2° A 8° OU CONGELADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

C73 - IGE ESPECIFICO PARA INSULINA HUMANA - C73

PRAZO: 12.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : QUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO : JEJUM DE 4 HORAS MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO ATÉ 7 DIAS 2° A 8° OU CONGELADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CA-SRITA - CALCIO IONICO

PRAZO: 3.00


CA125 - CA 125

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO:ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA (ECLIA) PREPARO: JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL:.
SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME: MINIMO 2.
0 ML CONSERVAÇÃO: ATÉ 2 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: HEMOLISE INTENSAS OU INATIVADA PELO CALOR E LIPEMIA.
APLICAÇÃO CLÍNICA : O CA 125 É UMA GLICOPROTEÍNA PRODUZIDA, NORMALMENTE, PELO EPITÉLIO DAS SEROSAS, TROMPAS DE FALÓPIO, ENDOMÉTRIO E ENDOCÉRVIX.
É O MARCADOR TUMORAL CLASSICAMENTE UTILIZADO NO CÂNCER DE OVÁRIO, NÃO SENDO, ENTRETANTO, EXCLUSIVO DESTA NEOPLASIA.
O CA 125, DE FORMA ISOLADA, APRESENTA VALOR PREDITIVO MUITO BAIXO PARA SER USADO COMO TESTE DE TRIAGEM DO CÂNCER DE OVÁRIO.
CERCA DE 2% DAS MULHERES PÓS-MENOPAUSA SAUDÁVEIS E 15% DAS MULHERES PRÉ-MENOPAUSA SAUDÁVEIS APRESENTAM CA 125 > 35 U/ML À TRIAGEM.
NÍVEIS ELEVADOS DE CA 125 OCORREM EM 85% DAS PACIENTES COM CÂNCER DE OVÁRIO NÃO MUCINOSO VARIANDO COM O ESTÁGIO.
NÃO ESTÁ ELEVADO EM 20% DAS PACIENTES À ÉPOCA DO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE OVÁRIO.
A MONITORIZAÇÃO DO TRATAMENTO E RECORRÊNCIAS É A PRINCIPAL UTILIDADE DESTE MARCADOR, SENDO NÍVEIS SERIADOS MAIS REPRESENTATIVOS DO QUE UMA ÚNICA DETERMINAÇÃO.
O AUMENTO DO CA 125 PODE PRECEDER AS ALTERAÇÕES CLÍNICAS EM ATÉ 11 MESES.
VALORES ELEVADOS TAMBÉM SÃO OUTRAS SITUAÇÕES CLÍNICAS: ANDOMETRIOSE, CÂNCER DE ENDOMÉTRICO, CÂNCER DE MAMA, LINFOMA NÃO-HODGKIN, NEOPLASIAS DE FÍGADO, PÂNCREAS, CÓLON, PULMÃO, UROEPITELIAIS, ENDOCÉRVIX, PRÓSTATA, RABDOMIOSSARCOMA DE ÚTERO, MESOTELIOMA

CA153 - CA 15-3

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO METODO: ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA (ECLIA) PREPARO: JEJUM OBRIGATÓRIO DE 8 HORAS.
MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME: 2 ML CONSERVACAO: REFRIGERADO: 5 DIAS E CONGELADO: 3 MESES REJEICAO: HEMÓLISE INTENSA TRANSPORTE: REFRIGERADO APLICAÇÃO CLINICA:CA 15-3 É UMA GLICOPROTEÍNA PRESENTE NORMALMENTE EM CÉLULAS EPITELIAIS GLANDULARES E NO SORO.
SEUS NÍVEIS SÉRICOS ESTÃO AUMENTADOS EM VÁRIOS TIPOS DE CARCINOMA, INCLUINDO ADENOCARCINOMAS E CARCINOMAS DE CÉLULAS ESCAMOSAS.
ESTA AUMENTADO EM VÁRIOS TIPOS DE CARCINOMAS.
TEM SIDO USADO COMO MARCADOR DE CÂNCER DE MAMA.
NÃO TEM UTILIDADE COMPROVADA NO RASTREAMENTO, DEIAGNÓSTICO OU ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA.
MESMO SUA UTILIZAÇÃO NO ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES PORTADORES DE CÂNCER DE MAMA, NA MONITORIZAÇÃO E DETECÇÃO DE RECIDIVAS TEM SIDO DISCUTIDAS.
NÍVEIS ELEVADOS DE CA 15.
3 TAMBÉM PODEM SER ENCONTRADOS EM NEOPLASIAS DE PÂNCREAS, PULMÕES E OVÁRIOS, E EM RAROS CASOS DOENÇAS BENIGNAS DAS MAMAS E DO FÍGADO.


CA19 - CA 19-9

PRAZO: 8.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA (ECLIA) PREPARO : JEJUM OBRIGATÓRIO DE 8 HORAS.
O SORO NÃO DEVE TER HEMÓLISE MATERIAL : SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 2 ML CONSERV.
: REFRIGERADO: 2 DIAS E CONGELADO: 1 MES TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEICAO : HEMÓLISE INTENSA APLIC.
CLINICA: CA 19-9 É UMA GLICOPROTEÍNA SINTETIZADA EM CÉLULAS EPITELIAIS DO CÓLON, PÂNCREAS, DUCTOS BILIARES, TRATO GASTROINTESTINAL, DUCTOS SALIVARES E ENDOMÉTRIO.
TEM SIDO USADO COMO MARCADOR TUMORAL DE NEOPLASIAS DE PÂNCREAS, E OCASIONALMENTE EM TUMORES HEPÁTICOS E COLORRETAIS.
DEVE SER UTILIZADO NO MONITORAMENTO DE PACIENTES SUBMETIDOS TERAPIA E NA DETECÇÃO DE RECIDIVAS.
SUA EFICÁCIA NO RASTREAMENTO, DIAGÓSTICO, ESTADIAMENTO, E MONITORIAZAÇÃO DO CÂNCER COLORRETAL NÃO FOI CONFIRMADA.
VALORES ELEVADOS PODEM SER ENCONTRADOS EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA.
DOENÇAS BENIGNAS COMO ENDOMETRIOSE, SÍNDROME DE SJÖGREN, PSEUDOTUMOR HEPÁTICO, PANCREATITE CRÔNICA E HEPATITES AUTO-IMUNES, DENTRE OUTRAS, TAMBÉM PODEM ELEVAR OS VALORES DE CA19-9.


CA50 - CA 50

PRAZO: 20.00


CA72 - CA 72-4

PRAZO: 12.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO: JEJUM OBRIGATÓRIO DE 8 HORAS.
INTERVALO ENTRE MAMADAS PARA LACTENTES (BEBÊS).
INFORMAR SE ESTA EM USO DE ALGUM MEDICAMENTO MATERIAL : SANGUE (SORO).
O SORO NÃO DEVE TER HEMÓLISE.
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 2 ML DE SORO CONSERVAÇAO : ATE 3 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO: AMOSTRA INFERIOR APLIC.
CLINICA: ESTA GLICOPROTEÍNA É UM MARCADOR TUMORAL UTILIZADO NO ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES COM CÂNCER GÁSTRICO E, MENOS COMUMENTE, NOS CÂNCERES DE OVÁRIO E CÓLON.
O CA 72-4 NÃO APRESENTA SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE SUFICIENTES PARA SER UTILIZADO COMO MÉTODO DE TRIAGEM OU DIAGNÓSTICO DE QUALQUER NEOPLASIA.
NO CÂNCER DE ESTÔMAGO, 20% A 40% DOS PACIENTES APRESENTAM ELEVAÇÕES DE CA 72-4.
NA AVALIAÇÃO DA RECORRÊNCIA DO TUMOR GÁSTRICO APRESENTA SENSIBILIDADE EM TORNO DE 50%, ANTECEDENDO, EM MÉDIA, POR 5 MESES O DIAGNÓSTICO CIRÚRGICO.
O AUMENTO DE CA 72-4 CORRELACIONA-SE COM RECORRÊNCIA DESTE CARCINOMA EM 7 DE CADA 10 PACIENTES.
NÃO SE RECOMENDA CONDUTAS BASEADAS EM UMA ÚNICA DOSAGEM DE CA 72-4.
NO CARCINOMA DE OVÁRIO, O CA 72-4 É PRODUZIDO, PRINCIPALMENTE, POR TUMORES MUCINOSOS.
UMA VEZ QUE APENAS 56% DOS PACIENTES COM ESTE TIPO HISTOLÓGICO APRESENTAM DOSAGENS ELEVADAS DE CA 125, O CA 72-4 TEM USO POTENCIAL NESTES PACIENTES.
NÍVEIS ELEVADOS DE CA 72-4 PODEM SER ENCONTRADOS NO CÂNCER DE CÓLON (20% A 41%) E CARCINOMA DE PÂNCREAS (45%).
A TAXA DE ELEVAÇÕES FALSO- POSITIVAS DO CA 72-4 É CERCA DE 2%.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO DESCRITOS EM PACIENTES COM DOENÇAS GASTRINTESTINAIS BENIGNAS (ADENOMAS, PÓLIPOS, DIVERTICULITE, COLITE ULCERATIVA, DOENÇA CLORIDO-PÉPTICA, PANCREATITE, CIRROSE HEPÁTICA), PNEUMOPATIAS, DOENÇAS REUMÁTICAS, CISTOS OVARIANOSE DOENÇAS BENIGNAS DE MAMA.


CAD - CADMIO SERICO

PRAZO: 30.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : HPLC (CROMATOGRAFIA LIQUIDA DE ALTA PERFORMANCE) PREPARO : NÃO NECESSÁRIO JEJUM MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME : 2 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CADU - CADMIO URINARIO

PRAZO: 15.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO ATÔMICA COM FORNO DE GRAFITE PREPARO : MATERIAL : URINA RECEPIENTE : FRASCO VOLUME :50 ml CONSEVAÇÃO : SOB.
REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE : SOB.
REFRIGERAÇÃO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CAL - CALCIO TOTAL

PRAZO: 3.00
SETOR:.
BIOQUIMICA SINONIMIA:.
.
CALCEMIA/ CALCIO SERICO/ Ca Total/ CÁLCIO TOTAL/ CALCEMIA MÉTODO:.
.
COLORIMETRICO DE PONTO FINAL- ARSENAZO III PREPARO:.
.
JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO DE 8 HORAS MATERIAL:.
SANGUE (SORO) RECIPIENTE:.
TUBO COM GEL INTERFERENTE:.
.
GARROTEAMENTO PROLONGADO E HEMÓLISE CONSERVAÇÃO:.
REFRIGERADO E CONGELADO ATÉ 6 MESES TRANSPORTE:.
.
REFRIGERADO REJEIÇÃO:HEMÓLISE VALOR DE REF.
.
.
8,8 A 11,0 mg/dl APLICAÇÃO CLÍNICA :: ÚTIL NO DIAGNÓSTICO E SEGMENTO DE DISTÚRBIOS DO METABOLISMO DE CÁLCIO E FÓSFORO, ESPECIALMENTE NA AVALIAÇÃO DE PACIENTES COM CÁLCULO RENAL.
O CÁLCIO ENCONTRA-SE LIGADO ÀS PROTEÍNAS (47%) E LIVRE (43%).
A HIPERCALCEMIA É ENCONTRADA NO HIPERPARATIREOIDISMO, ALGUMAS NEOPLASIAS COM OU SEM METÁSTASES ÓSSEAS, MIELOMA, DESIDRATAÇÃO, HIPERVITAMINOSE D, SÍNDROME DE IMOBILIDADE, HIPERTIREOIDISMO, HEPATOPATIAS, INSUFICIÊNCIA RENAL, SARCOIDOSE, LINFOMA, USO DE DIURÉTICOS E ESTRÓGENOS.
NÍVEIS BAIXOS DE CÁLCIO SÃO ENCONTRADOS NA OSTEOMALÁCIA, PANCREATITE, HIPOMAGNESEMIA, HIPERVOLEMIA, MÁ ABSORÇÃO, DIFICIÊNCIA DE VITAMINA D, DIMINUIÇÕES DA ALBUMINA E EM SITUAÇÕES QUE CURSAM COM FÓSFORO ELEVADO (INSUFICÊNCIA RENAL, HIPOPARATIREOIDISMO).
NÍVEIS CRÍTICOS DE CÁLCIO TOTAL SÃO AQUELES INFERIORES A 6 Mg/DL E SUPERIORES A 14 Mg/DL.


CAL6H - CALCIO URINA DE 6 HORAS

PRAZO: 3.00


CALCRE - CALCIO - CREATININA - RELACAO URINA AMOSTRA UNICA

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: COLORIMÉTRICO PREPARO: - COLHER PREFERENCIALMENTE NO LABORATÓRIO.
SE COLHIDO EM CASA ENTREGAR NO LABORATÓRIO NO PRAZO DE 2 HORAS.
- COLHER O JATO MÉDIO DA PRIMEIRA URINA DA MANHÃ OU APÓS RETENÇÃO DE 4 HORAS, APÓS DEVIDA HIGIENIZAÇÃO DA GENITÁLIA.
MATERIAL; URINA RECENTE RECIPIENTE: FRASCO DE URINA ESTÉRIL VOLUME: MINIMO DE 20 ML CONSERVAÇÃO: NO DIA DA COLETA CONSERVAR REFRIGERADO DE 2° A 8° OU ATÉ 2 SEMANAS COM HCL 50% 5ML 0,10ML = 100MICROLITROS= 2 GOTAS 10ML 0,20ML=200MICROLITROS= 4 GOTAS 15ML 0,30ML=300MICROLITROS= 6 GOTAS 20ML 0,40ML=400MICROLITROS= 8 GOTAS 25ML 0,50ML=500MICROLITROS= 10 GOTAS 30ML 0,60ML=600MICROLITROS= 12 GOTAS TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: COLETA E TRANSPORTE INADEQUADO APLICAÇÃO CLINICA: A DETERMINAÇÃO DE CÁLCIO NA URINA É ÚTIL, SOBRETUDO NA AVALIAÇÃO DO PACIENTE COM CÁLCULO RENAL E, EVENTUALMENTE, NO SEGUIMENTO DE PORTADORES DE HIPERPARATIROIDISMO, LESÕES ÓSSEAS METASTÁTICAS, MIELOMA, INTOXICAÇÃO POR VITAMINA D E ACIDOSE TUBULAR RENAL.


CALCU - CALCULO URINARIO

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : CÁLCULO RENAL PREPARO : MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : CONGELADO TRANSPORTE : CONGELADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CALI - CALCIO IONICO

PRAZO: 3.00
SETOR:.
BIOQUIMICA SINONIMIA:.
.
CALCIO IONIZÁVEL/ CA++/ CA2+/ CaI/ CÁLCIO LIVRE/ CÁLCIO DIFUSÍVEL MÉTODO:.
.
COLORIMETRICO DE PONTO FINAL- ARSENAZO III PREPARO:.
.
JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO DE 8 HORAS MATERIAL:.
SANGUE (SORO) RECIPIENTE:.
TUBO COM GEL INTERFERENTE:.
.
GARROTEAMENTO PROLONGADO E HEMÓLISE CONSERVAÇÃO:.
REFRIGERADO E CONGELADO ATÉ 6 MESES TRANSPORTE:.
.
REFRIGERADO REJEIÇÃO:HEMÓLISE VALOR DE REF.
.
.
4,6 A 5,4 mg/dl APLICAÇÃO CLÍNICA :REPRESENTA APROXIMADAMENTE METADE DO CÁLCIO TOTAL.
ÚTIL NO DIAGNÓSTICO E SEGMENTO DE DISTÚRBIOS DO METABOLISMO DE CÁLCIO E FÓSFORO, INCLUINDO DOENÇAS ÓSSEAS, NEFROLÓGICAS E NEOPLÁSICAS.
A DETERMINAÇÃO DO CÁLCIO IONIZADO OFERECE SOBRE O CÁLCIO TOTAL A VANTAGEM DE REFERIR-SE AO ELEMENTO FISIOLOGICAMENTE ATIVO.
SEU NÍVEL NÃO SOFRE AS VARIAÇÕES DO CÁLCIO TOTAL COM A TAXA DE PROTEÍNAS, MAS É INFLUENCIADO, POR SUA VEZ, PELAS CONDIÇÕES DE EQUILÍBRIO ÁCIDO BÁSICO.
ESTÁ AUMENTADA NO HIPER PARATIREOIDISMO PRIMÁRIO, NEOPLASIAS E EXCESSO DE VITAMINA D.
PODE ESTAR DIMINUÍDO NO HIPOPARATIREOIDISMO E NA DEFICIÊNCIA DE VITAMINA D.


CALUR4H - CALCIO URINA ALEATORIA

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: COLORIMÉTRICO ENZIMATICO PREPARO: - URINA RECENTE (JATO MEDIO DA 1A URINA DA MANHA OU APOS RETENCAO DE 4 HORAS).
URINA DE 24 HORAS E URINA DE 12 HORAS MATERIAL: URINA DE 24 HORAS, 12 HORAS E URINA RECENTE RECIPIENTE: FRASCO DE URINA ESTÉRIL VOLUME: URINA RECENTE MINIMO DE 50 ML.
URINA DE 12 HORAS E DE 24 HORAS TODO VOLUME DAS MICÇÕES DURANTE O PERIODO DE COLETA DESPRESANDO SEMPRE A URINA INICIAL CONSERVAÇÃO: HCL 50% - 20 ML POR CADA LITRO DE URINA TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: URINA NÃO REFRIGERADA E SEM CONSERVANTE.
URINA COLHIDA DE FORMA INADEQUADA.
APLICAÇÃO CLINICA: DOSAGEM DE CÁLCIO URINÁRIO É ÚTIL NA INVESTIGAÇÃO DOS EFEITOS DA VITAMINA D E PTH SOBRE A REABSORÇÃO ÓSSEA.
TAMBÉM UTILIZADO NA AVALIAÇÃO DE NEFROLITÍASE.
SUA DETERMINAÇÃO É PREFERIDA NA URINA DE 24 HORAS; URINA RECENTE PODE SER UTILIZADA REALIZANDO A RAZÃO CÁLCIO/ CREATININA.
A HIPERCALCIÚRIA É ENCONTRADA NAS HIPERCALCEMIAS, NA HIPERABSORÇÃO INTESTINAL DE CÁLCIO, DISTÚRBIOS DA REABSORÇÃO TUBULAR DE CÁLCIO, CORTICOTERAPIA, OSTEOPOROSE, ACROMEGALIA, HIPERTIREOIDISMO, FEOCROMOCITOMA E CUSHING.
A HIPOCALCIÚRIA PODE SER SECUNDARIA A HIPOCALCEMIA, INSUFICIENCIA RENAL, OSTEOMALACIA, RAQUITISMO, ALCALOSE, USO DE DIURÉTICOS E ESTRÓGENOS.


CANDP - CANDIDA, PESQUISA

PRAZO: 3.00


CARBA - CARBAMAZEPINA

PRAZO: 5.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : TURBIDIMETRIA PREPARO : JEJUM OBRIGATÓIO DE 8 HORAS (DO MEDICAMENTO), OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
COLHER DE PREFERÊNCIA ANTES DA PRÓXIMA DOSE DO MEDICAMENTO OU C.
O.
M.
MATERIAL : SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO SECO SEM SEM GEL VOLUME : MINIMO 1 ML CONSERVACAO: REFRIGERADO: 2 DIAS.
TRANSPORTE : REFRIGERADA REJEICAO : LIPEMIA INTENSA OU PERMANENCIA DO SORO NO GEL OBSERVACAO : PREENCHER QUESTIONARIO DE DROGAS NIVEL TERAPEUTICO: 4,0 A 10,0 mcg/mL APLICACAO CLINICA: CARBAMAZEPINA É UM ANTI-CONVULSIVANTE DE PRIMEIRA LINHA USADO NO TRATAMENTO DE CRISES PARCIAIS E GENERALIZADAS.
PODE SER USADO TAMBÉM NO TRATAMENTO DE NEVRALGIA DO TRIGÊMEO, NEURPATIA DIABÉTICA, DISTÚRBIO BIPOLAR E OUTRAS DOENÇAS NEUROLÓGICAS E PSIQUIÁTRICAS.
O PICO SÉRICO É ATINGIDO EM MÉDIA 6 HORAS APÓS CARBAMAZEPINA SER INGERIDA, COM VARIAÇÃO DE 2 A 12 HORAS.
UMA VEZ QUE DE 70 A 80% DA DROGA ACHA-SE LIGADA À PROTEÍNAS, A HIPOALBUMINEMIA TENDE A AUMENTAR A FRAÇÃO LIVRE DA DROGA.
EM NÍVEIS TÓXICOS PODE LEVAR A DISTÚRBIOS VISUAIS (NISTAGMO, DIPLOPIA), DE MARCHA (ATAXIA), SONOLÊNCIA, TONTEIRAS E CEFALÉIA.
A DOSAGEM DE CARBAMAZEPINA É USADA PARA AJUSTE DE DOSAGEM E VERIFICAÇÃO DE ADERÊNCIA AO TRATAMENTO.


CARBO - CARBOXIHEMOGLOBINA

PRAZO: 10.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ESPECTROFOTOMETRIA PREPARO : MATERIAL : SANGUE TOTAL COM EDTA RECEPIENTE : TUBO EDTA VOLUME : 2 ml CONSEVAÇÃO : SOB.
REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE : SOB.
REFRIGERAÇÃO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CARBOCRO - CROMATOGRAFIA DE CARBOHIDRATO - QUANTITATIVO - URINA

PRAZO: 10.00


CARDG - CARDIOLIPINA IGG, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : FEIA - (FLUOROMETRIC ENZYME IMMUNOASSAY) PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO.
EVITAR HEMÓLISE E LIPEMIA.
MATERIAL : SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 2 ML DE SORO CONSERVACAO : ATE 7 DIAS REFRIGERADA TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : HEMOLISE , LIPEMIA APLIC.
CLINICA: TESTE UTILIZADO NO DIAGNÓSTICO DA SÍNDROME DO ANTICORPO ANTIFOSFOLÍPIDE (AFL).
ESTA PODE SER PRIMÁRIA (NA AUSÊNCIA DE OUTROS AUTOANTICORPOS E MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DOS LES) OU ASSOCIADA AO LES (15% DOS CASOS).
ANTICORPOS ANTIFOSFOLÍPIDES LEVAM A MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS VASOCLUSIVAS, QUE INCLUEM TROMBOSE VENOSA, OCLUSÃO ARTERIAL, LIVEDO RETICULAR, ÚLCERA PERNA E PERDA FETAL ALÉM DE MANIFESTAÇÕES HEMATOLÓGICAS: TROMBOCITOPENIA, ANEMIA HEMOLÍTICA E NEUTROPENIA.
O DIAGNÓSTICO É CONSIDERADO DEFINIDO QUANDO DUAS OU MAIS MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS (VASOCLUSIVA OU HEMOCITOPÊNICAS) SÃO ENCONTRADAS E PELO MENOS UM DOS CRITÉRIOS LABORATORIAIS É ENCONTRADO.
NA PESQUISA LABORATORIAL PARA ANTICORPOS ANTI-FOSFOLÍPIDES É RECOMENDADO A REALIZAÇÃO DE ENSAIOS PARA PESQUISA DE ANTICOAGULANTE LÚPICO E ANTICORPOS ANTI-CARDIOLIPINA, POIS PODEM ESTAR PRESENTES DE FORMA ISOLADA.


CARDM - CARDIOLIPINA IGM, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCERIZADO METODO : FEIA - (FLUOROMETRIC ENZYME IMMUNOASSAY) PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO - INTERVALO ENTRE MAMADAS PARA LACTENTES- MATERIAL : SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 2ML ML DE SORO CONSERVACAO : REFRIGERADO: ATÉ 7 DIAS TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: AMOSTRA NÃO REFRIGERADA APLIC.
CLINICA: TESTE UTILIZADO NO DIAGNOSTICO DA SINDROME DO ANTICORPO ANTI FOSFOLIPIDE (AFL).
OS ANTICORPOS ANTIFOSFOLIPIDES LEVAM A MANIFESTACOES CLINICAS VASOCLUSIVAS QUE INCLUI:TROMBOSE VENOSA, OCLUSAO ARTERIAL, LIVEDO RETICULAR, ULCERA DE PERNA E PERDA FETAL RECORRENTE NO 2º OU 3º MES DE GESTACAO ALEM DE MANIFESTACOES HEMATOLOGICAS COMO: TROBOCITOPENIA, NEUTROPENIA E ANEMIA HEMOLITICA.


CARINI - PNEUMOCYSTIS CARINII - PESQUISA

PRAZO: 10.00
SETOR: TERCEIRIZADO MÉTODO: MICROSCOPIA GIEMSA MATERIAL: ESCARRO, LAVADO BRONQUIO ALVEOLAR, ASPIRADO TRAQUEAL RECIPIENTE: FRASCO ESTÉRIL VOLUME: NÃO ESPECIFICADO CONSERVÇÃO: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJAIÇÃO: TRANSPORTE E CONSERVAÇÃO INADEQUADO.


CATES - CATECOLAMINAS PLASMATICAS

PRAZO: 18.00
SETOR : TERCEIRIZADO MÉTODO : CROMATOGRAFIA LIQUIDA DE ALTA PERFORMANCE - HPLC PREPARO : * PERMANECER EM REPOUSO ( DEITADO ) POR 30 MINUTOS ANTES DA COLETA * JEJUM DE 4 HORAS * O PACIENTE DEVERÁ PERMANECER 24 HORAS SEM INGERIR: ÁLCOOL, FUMO, REFRIGERANTES (COCA), CAFÉ, CHÁ, CHOCOLATE E FRUTAS .
SUSPENDER POR 24 HORAS O USO DE L-DOPA,PROPANOLOL, ALDOMET, EFORTIL, INDERAL, ATENOL, ATENSINA ,AMPLICTIL, DESCONGESTIONANTES NASAIS E OUTROS.
NÃO INGERIR CAFÉ OU CHÁ.
"LEMBRANDO QUE SOMENTE O MÉDICO PODERA SUSPENDER QUALQUER MEDICAMENTO" MATERIAL: PLASMA EDTA CONGELADO .
COLHER SANGUE TOTAL EM EDTA, CENTRIFUGAR IMEDIATAMENTE APÓS A COLETA E CONGELAR APÓS SEPARAÇÃO DO PLASMA.
RECIPIENTE: ESCALPE VOLUME : 3 ML CONSERV.
: ATE 60 DIAS CONGELADO.
TRANSPORTE: CONGELADA.
REJEIÇÃO : HEMÓLISE E DESCONGELAMENTO DA AMOSTRA NO TRANSPORTE.


CATEU - CATECOLAMINAS FRACOES DE URINA 24 HORAS

PRAZO: 15.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : HPLC (CROMATOGRAFIA LIQUIDA DE ALTA PERFORMANCE) PREPARO : - O PACIENTE DEVERÁ PERMANECER 24 HORAS ANTES E DURANTE A COLETA SEM INGERIR OS ALIMENTOS RELACIONADOS, POIS ESTES ALIMENTOS INTERFEREM NO RESULTADO: .
FUMO, CAFÉ, CHÁ, REFRIGERANTES COM COLA.
- O CLIENTE DEVERÁ MANTER SUA ROTINA DIÁRIA EVITANDO FAZER ESFORÇO FÍSICO DURANTE A COLETA.
- NÃO É NECESSÁRIO AUMENTAR A INGESTÃO DE LÍQUIDOS, EXCETO SOB ORIENTAÇÃO MÉDICA.
MATERIAL : URINA 24H RECEPIENTE : FRASCO FORNECIDO PELO LABORATÓRIO VOLUME :TODO VOLUME COLHIDO EM 24 HORAS CONSEVAÇÃO : REFRIGERADA TRANSPORTE : REFRIGERADA REJEIÇÃO : - AMOSTRA EM FRASCO DE REFRIGERANTES OU MEDICAMENTOS.
- AMOSTRA SEM CONSERVANTE.
- PACIENTE SEM DIETA RECOMENDADA.
- AMOSTRAS COM PH MAIOR OU IGUAL A 7.


CAU24H - CALCIO, URINA 24 HORAS

PRAZO: 3.00
SETOR:.
BIOQUIMICA SINONIMIA:.
CALCIO URINÁRIO MÉTODO:.
COLORIMETRICO DE PONTO FINAL - ARSENAZO III PREPARO : DESPREZAR PRIMEIRA URINA DA MANHA, MARCAR O HORARIO E A PARTIR DAI COLHER TODAS AS URINAS POR UM PERIODO DE 24 HORAS.
MARCAR O HORARIO INICIAL E HORARIO FINAL.
MATERIAL:.
.
URINA DE 24 HORAS COM HCL A 50%.
UTILIZAR 20 ML PARA CADA 1 LITRO DE URINA RECIPIENTE:.
.
FRASCO DE POLIETILENO CONSERVAÇÃO:.
.
REFRIGERADO REFERÊNCIA: ATÉ 180 mg/24 horas ( COM DIETA RESTRITA DE CÁLCIO) ATÉ 280 mg/24 horas ( SEM DIETA RESTRITA DE CÁLCIO) APLICAÇÃO CLINICA: DOSAGEM DE CÁLCIO URINÁRIO É ÚTIL NA INVESTIGAÇÃO DOS EFEITOS DA VITAMINA D E PTH SOBRE A REABSORÇÃO ÓSSEA.
TAMBÉM UTILIZADO NA AVALIAÇÃO DE NEFROLITÍASE.
SUA DETERMINAÇÃO É PREFERIDA NA URINA DE 24 HORAS; URINA RECENTE PODE SER UTILIZADA REALIZANDO A RAZAO CALCIO/ CREATININA.
A HIPERCALCIÚRIA É ENCONTRADA NAS HIPERCALCEMIAS, NA HIPERABSORÇÃO INTESTINAL DE CÁLCIO, DISTÚRBIOS DA REABSORÇÃO TUBULAR DE CÁLCIO, CORTICOTERAPIA, OSTEOPOROSE, ACROMEGALIA, HIPERTIREOIDISMO, FEOCROMOCITOMA E CUSHING.
A HIPOCALCIÚRIA PODE SER SECUNDÁRIA A HIPOCALCEMIA, INSUFICIENCIA RENAL, OSTEOMALACIA, RAQUITISMO, ALCALOSE, USODE DIURÉTICOS E ESTRÓGENOS.


CAURIN12 - CALCIO DOSAGEM URINA 12HS

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA METODO: COLORIMETRICO ENZIMATICO PREPARO: - CONSERVAÇÃO PARA AS UNIDADES HERMES PARDINI ( PARA LABORATÓRIOS CONVENIADOS SEGUIR ORIENTAÇÃO DESCRITA NO CAMPO OUTROS LABORATÓRIOS): .
ACIDIFICAR COM HCL 50% 20 ML PARA CADA 3 LITROS DE URINA (ADULTOS E CRIANÇAS), OU REFRIGERAR DESDE O INÍCIO DA COLETA.
- A DIETA SERÁ ORIENTADA SOMENTE SE FOR SOLICITADA PELO MÉDICO.
CASO CONTRÁRIO, A COLETA SERÁ FEITA SEM DIETA.
- SE COM DIETA, FAVOR ESPECIFICAR.
.
DIETA POBRE EM CÁLCIO (SUGERIDA OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA): - PERMANECER 4 DIAS SEM INGERIR OS SEGUINTES ALIMENTOS: LEITE E SEUS DERIVADOS (MANTEIGA, QUEIJO, REQUEIJÃO, CREME DE LEITE, ETC.
) .
COLETA: - DO 3O PARA O 4O DIA DA DIETA, COLHER URINA 24 HORAS, PERMANECENDO SOB DIETA.
- NÃO COLHER DURANTE O PERIODO DE CÓLICA RENAL OU EM USO DE MEDICAMENTOS.
NESTE CASO, ESPERAR 10 DIAS (CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA).
- NÃO FAZER ESFORÇO FÍSICO DURANTE A COLETA.
- O CLIENTE DEVE MANTER SUA ROTINA DIÁRIA.
- NÃO É NECESSÁRIO AUMENTAR A INGESTÃO DE LÍQUIDOS, EXCETO SOB ORIENTAÇÃO MÉDICA.
MATERIAL: TODA A MICÇÃO DAS URINAS DE UM PERIODO DE 12 HORAS RECIPIENTE: FRASCO DE URINA DE 24 HORAS VOLUME: TODO VOLUME DAS MICÇÕES DO PERIODO DE 12 HORAS CONSERVAÇÃO: 20 ML DE HCL PARA CADA LITRO DE URINA (ADULTO), 10 ML DE HCL PARA CADA LITRO DE URINA (INFANTIL).
CONSERVAR DE SEMPRE REFRIGERADO DE 2° A 8° TRANSPORTE; REFRIGERADO REJEIÇÃO: URINA SEM O CONSERVANTE, COLETA, TRANSPORTE E CONSERVAÇÃO INADEQUADO.
APLICAÇÃO CLINICA: DOSAGEM DE CÁLCIO URINÁRIO É ÚTIL NA INVESTIGAÇÃO DOS EFEITOS DA VITAMINA D E PTH SOBRE A REABSORÇÃO ÓSSEA.
TAMBÉM UTILIZADO NA AVALIAÇÃO DE NEFROLITÍASE.
SUA DETERMINAÇÃO É PREFERIDA NA URINA DE 24 HORAS; URINA RECENTE PODE SER UTILIZADA REALIZANDO A RAZAO CALCIO/ CREATININA.
A HIPERCALCIÚRIA É ENCONTRADA NAS HIPERCALCEMIAS, NA HIPERABSORÇÃO INTESTINAL DE CÁLCIO, DISTÚRBIOS DA REABSORÇÃO TUBULAR DE CÁLCIO, CORTICOTERAPIA, OSTEOPOROSE, ACROMEGALIA, HIPERTIREOIDISMO, FEOCROMOCITOMA E CUSHING.
A HIPOCALCIÚRIA PODE SER SECUNDÁRIA A HIPOCALCEMIA, INSUFICIENCIA RENAL, OSTEOMALACIA, RAQUITISMO, ALCALOSE, USODE DIURÉTICOS E ESTRÓGENOS.


CAXG - CAXUMBA IGG, ANTIC ANTI

PRAZO: 6.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : IMUNOFLUORESCÊNCIA PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO.
CASO NÃO FOR REALIZADO O EXAME NO MOMENTO, CONGELAR A AMOSTRA.
LIPEMIA E HEMÓLISE ATUAM COMO INTERFERENTE.
MATERIAL: SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1 ML CONSERV.
: CONGELAR IMEDIATAMENTE TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEICAO: AMOSTRAS DESCONGELADAS APLIC.
CLINICA: A CAXUMBA É CAUSADA POR UM PARAMYXOVIRUS.
A SOROLOGIA PERMITE AVALIAR A RESPOSTA À INFECÇÃO NATURAL OU À IMUNIZAÇÃO.
A PRESENÇA DE ANTICORPOS DA CLASSE IgM INDICA INFECÇÃO RECENTE, PODENDO SER DETECTADOS NOS PRIMEIROS DIAS E MANTENDO-SE POR 1 A 3 MESES.
EM QUADROS CRÔNICOS, PÓS-VACINAS OU DE TRANSFERÊNCIA DE IMUNIDADE (FILHOS DE MÃES IMUNES OU USO DE GAMAGLOBULINA HIPERIMUNE), ANTICORPOS IgM ESTÃO AUSENTES.
OS ANTICORPOS DA CLASSE IGG SURGEM LOGO APÓS A IGM E MANTÊM-SE EM NÍVEIS PROTETORES DE FORMA DURADOURA.
OS RECÉM-NASCIDOS DE MÃES IMUNIZADAS, NATURALMENTE OU POR VACINAÇÃO, APRESENTAM NÍVEIS PROTETORES DE IGG ATÉ CERCA DE 6 MESES DE IDADE.


CAXM - CAXUMBA IGM, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
MÉTODO : IMUNOFLUORESCÊNCIA PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO.
CASO NÃO FOR REALIZADO O EXAME NO MOMENTO, CONGELAR A AMOSTRA.
LIPEMIA E HEMÓLISE ATUAM COMO INTERFERENTE.
MATERIAL: SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 ML CONSERVAÇÃO: CONGELAR IMEDIATAMENTE TRANSPORTE : CONGELADO REJEIÇÃO: AMOSTRAS DESCONGELADAS APLIC.
CLINICA: TESTE ÚTIL NO DIAGNÓSTICO DA CAXUMBA.


CBK - BAAR CULTURA

PRAZO: 47.00
> ATUALIZADO EM 30/11/2010 POR MOZART MACHADO > EXAME EXTERNO.
NAO MARCAR URGENCIA > COLETA DO ESCARRO - IDEAL 5 A 10 mL COLHIDOS PELA MANHÃ.
ESCARRO EXPECTORADO: COLHER PREFERENCIALMENTE PELA MANHÃ, AO SE LEVANTAR E ANTES DO DESJEJUM.
LAVAR VÁRIAS VEZES A BOCA COM ÁGUA PURA, GARGAREJANDO E BOCHECHANDO ABUNDANTEMENTE.
QUALQUER SECREÇÃO NASAL OU SALIVA, DEVE SER ELIMINADA.
FAZER VÁRIAS INSPIRAÇÕES PROFUNDAS E TOSSIR VÁRIAS VEZES, PROCURANDO OBTER O MATERIAL DO FUNDO DO PEITO.
ESCARRO INDUZIDO: LAVAR VIGOROSAMENTE TODA A BOCA COM UMA ESCOVA DE DENTES E SALINA A 0,85% POR 5 A 10 MINUTOS, NÃO USAR PASTA DENTAL.
FAZER NEBULIZAÇÃO COM SALINA HIPERTÔNICA A 3%.
A INALAÇÃO PROFUNDA DESTA SALINA RESULTARÁ NA ACUMULAÇÃO OSMÓTICA DE FLUIDO E NA IRRITAÇÃO DA ÁRVORE BRÔNQUICA, COM SUBSEQUENTE TOSSE E EXPECTORAÇÃO DO CONTEÚDO BRONCOALVEOLAR.
URINA ALEATÓRIA - 1ª URINA DO DIA.
COLHER TODO O VOLUME URINÁRIO ENVIAR REFRIGERADO.
URINA DE 24 HORAS - NÃO É RECOMENDÁVEL.
SE HOUVER SOLICITAÇÃO MÉDICA, ENVIAR TODO O VOLUME URINÁRIO.
COLETA MÉDICA - LÍQUIDO ASCÍTICO, PLEURAL, LÍQUOR OU PUNÇÃO DE ABSCESSO MATERIAL: ESCARRO, URINA 1ª AMOSTRA MATINAL, LAVADO BRÔNQUICO OU GÁSTRICO, LÍQUIDO ASCÍTICO, PLEURAL OU LÍQUOR, PUNÇÄO DE ABSCESSOS, SWAB OROFARÍNGEO, LÍQUIDO SEMINAL, FEZES, OUTROS CONFORME SOLICITAÇÃO MEDICA.
> RECIPIENTE: .
ESCARRO E URINA: FRASCO ESTÉRIL, SWAB OROFARÍNGEO: STUART E FEZES: CARY BLAIR > CONSERVAÇÃO:.
.
24 HORAS (STUART-TEMPERATURA AMBIENTE E OUTROS MATERIAIS REFRIGERADOS) > TRANSPORTE: ESCARRO E URINA- REFRIGERADO; STUART E CARY BLAIR - TEMPERATURA AMBIENTE REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ESCARRO DEIXADO A TEMPERATURA AMBIENTE POR MAIS DE 1H DEVE SER DESPREZADO

CC2 - COMPLEMENTO C2

PRAZO: 8.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
MÉTODO : IMUNODIFUSÃO RADIAL PREPARO: * JEJUM DE 8 HORAS.
* INTERVALOS ENTRE MAMADAS PARA LACTENTES * COLHER SANGUE DEIXAR TEMPERATURA AMBIENTE 30 MINUTOS * CENTRIFUGAR 10 MINUTOS, SEPARAR SORO E CONGELAR IMEDIATAMENTE MATERIAL : SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
INTERF.
: HEMÓLISE, LIPEMIA EXCESSIVAS.
DESCONGELAMENTO TRANSPORTE: CONGELADO CONSERVAÇÃO: MATERIAL TEM QUE SER ENCAMINHADO NO MESMO DIA.


CC3 - COMPLEMENTO C3

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : NEFELOMETRIA PREPARO : JEJUM DE 4 HORAS MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME : 1,0 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : CONSERVACAO E TRANSPORTE INADEQUADO

CC4 - COMPLEMENTO C4

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : NEFELOMETRIA PREPARO : JEJUM DE 4HORAS MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME : 1 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : CONSERVACAO E TRANSPORTE INADEQUADO

CC5 - COMPLEMENTO C5

PRAZO: 25.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : NEFELOMETRIA PREPARO : JEJUM DE 4 HORAS.
COLETAR SANGUE TOTAL SEM ANTICOAGULANTE.
ESPERAR RETRAIR O COÁGULO, CENTRIFUGAR E ENVIAR O SORO CONGELADO.
MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME : 2 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : CONSERVACAO E TRANPORTE INADEQUADO - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CCP - CCP- ANTICORPOS ANTI / CITRULINA, ANTICORPOS ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ANTICORPOS ANTIPEPTÍDEO CITRULINADO CÍCLICO PREPARO : MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :2 mL CONSEVAÇÃO : SOB.
REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE : SOB.
REFRIGERAÇÃO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CD - CLOSTRIDIUM DIFFICILE TOXINA A

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : IMUNOCROMATOGRAFICO PREPARO : AMOSTRA DE FEZES DEVEM SER COLETADAS IMEDIATAMENTE, QUANDO POSSIVEL APÓS O COMEÇO DOS SINTOMAS.
MATERIAL : FEZES RECEPIENTE : FRASCO FEZES VOLUME : 5,0 g CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CD16 - CD16 CELULAS NK

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : CITOMETRIA DE FLUXO PREPARO : MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO EDTA VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE : TEMPERATURA AMBIENTE REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CD19LIN - CD19 LINFOCITOS TIPAGEM

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO METODO: IMUNOFENOTIPAGEM POR CITOMETRIA DE FLUXO PREPARO: NÃO É NECESSÁRIO JEJUM.
MATERIAL: SANGUE TOTAL COM EDTA RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME: 5 ML CONSERVACAO: TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE: TEMPERATURA AMBIENTE REJEICAO: AMOSTRA INSUFICIENTE

CD3 - LINFOCITOS TOTAIS CD3

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO METODO: IMUNOFENOTIPAGEM POR PLATAFORMA ÚNICA PREPARO: NÃO É NECESSÁRIO JEJUM.
MATERIAL: SANGUE TOTAL COM EDTA RECIPIENTE: TUBO COM EDTA VOLUME: 5 ML CONSERVACAO: TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE: TEMPERATURA AMBIENTE REJEICAO: AMOSTRA CONGELADA E INSUFICIENTE

CD4 - LINFOCITOS TOTAIL AUXILIAR, CD4

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : IMUNOFENOTIPAGEM POR PLATAFORMA ÚNICA PREPARO: NÃO É NECESSÁRIO JEJUM MATERIAL: SANGUE TOTAL COM EDTA RECIPIENTE: TUBO COM EDTA VOLUME: 5 ML CONSERV.
: TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE: TEMPERATURA AMBIENTE REJEIÇÃO: MATERIAL REFRIGERADO OU CONGELADO OBSERVAÇÃO: REALIZAR HEMOGRAMA SEMPRE, PARA A CONTAGEM DE LINFÓCITOS TOTAIS.
APLIC.
CLINICA: TESTE ÚTIL NA AVALIAÇÃO DAS IMUNODEFICIÊNCIAS, NAS QUAIS OCORREM ALTERAÇÕES DE LINFÓCITOS T SUPRESSORES E T AUXILIADORES, COMO POR EXEMPLO,NA AIDS.
O VIRUS HIV E ESPECIFICAMENTE CITOXICO PARA AS CELULAS CD4,PROVOCANDO UMA REDUÇAO PROGRESSIVA DE SU NUMERO E CONSEQUENTEMENTE REDUÇAO DO INDICE CD4/CD8.
TESTE ÚTIL NA AVALIAÇÃO DAS IMUNODEFICIÊNCIAS CONGÊNITAS DE FINFOCITOS B OU COMBINADAS.
APLICADO TAMBEM NA ANALISE, DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇAO DE LEUCEMIAS E LINFOMAS.
OS LINFÓCITOS T CD4 SÃO ESPECÍFICOS PARA A MAIORIA DAS INFECÇÕES OPORTUNISTAS, COMO PNEUMONICISTOSE, CITOMEGALOVIRUS E TOXOPLASMOSE.


CD483 - CD4 E CD8 + CD3 - SUBPOPULACAO LINFOCITARIA

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO METODO: IMUNOFENOTIPAGEM POR PLATAFORMA ÚNICA PREPARO: NECESSÁRIO 5,0 ML DE SANGUE TOTAL C/ EDTA MATERIAL: SANGUE (EDTA) RECIPIENTE: TUBO GEL VOLUME: 5 ML CONSERVACAO: TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE: TEMPERATURA AMBIENTE REJEICAO: AMOSTRA INSUFICIENTE

CD55/59 - CD55/CD59 HEMOGLOBINURIA PAROXISTICA NOTURNA

PRAZO: 7.00


CD56 - CD56 CELULAS NK

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : IMUNOFENOTIPAGEM POR PLATAFORMA ÚNICA PREPARO : JNO MATERIAL : SANGUE TOTAL COM EDTA RECEPIENTE : TUBO EDTA VOLUME :5 ml CONSEVAÇÃO : TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE : TEMPERATURA AMBIENTE REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CD8 - CD8 TIPAGEM CITOTÓXICO

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : IMUNOELETROTIPAGEM POR PLATAFORMA ÚNICA PREPARO: * JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO MATERIAL: SANGUE TOTAL EM EDTA INTERF.
: * MATERIAL REFRIGERADO OU CONGELADO CONSERV.
: ATÉ 24 HORAS TEMPERATURA AMBIENTE TRASPORTE: TEMPERATURA AMBIENTE OBSERVAÇÃO: REALIZAR HEMOGRAMA SEMPRE, PARA A CONTAGEM DE LINFÓCITOS TOTAIS.
REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CEA - CEA / ANTIGENO CARCINOEMBRIOGENICO

PRAZO: 6.00
SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TERCERIZADO MÉTODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ELETROQUIMIOLUMINESCENCIA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SANGUE (SORO) RECIPIENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MINIMO 2,0 mL CONSERVAÇÃO:.
.
.
ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2 A 8° ATÉ 12 MESES CONGELADO.
TRANSPORTE:.
.
.
.
.
.
REFRIGERADO REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
HEMÓLISE, LIPEMIA, CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO (USO EXCLUSIVO DO SETOR TÉCNICO)

APLICAÇÃO CLÍNICA : O ANTÍGENO CARCINOEMBRIONÁRIO (CEA) É UMA GLICOPROTEÍNA QUE NÃO É ÓRGÃO ESPECIFICA.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS EM VARIOS TUMORES, MAS SUA MAIOR APLICAÇÃO É NO CÂNCER COLORETAL.
UTILIZADO PARA AUXILIAR NO ESTADIAMENTO E MONITORIZAÇÃO, SENDO O MELHOR MARCADOR DA RESPOSTA AO TRATAMENTO DE ADENOCARCINOMAS GASTROINTESTINAIS.
NIVEIS MAIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS NO CANCER COLORETAL COM METASTASES OSSEAS E HEPÁTICAS.
ESTÁ PRESENTE COM NIVEIS ELEVADOS EM 65% DOS PACIENTES COM CARCINOMA COLORETAL, AO DIAGNÓSTICO.
SEU AUMENTO PODE PRECEDER EVIDENCIAS DE METASTASES EM EXAMES DE IMAGEM.
OUTRAS NEOPLASIAS PODEM CURSAR COM NIVEIS ELEVADOS DE CEA: CANCER DE MAMA, PULMÃO, OVARIO, ESTÔMAGO, PANCREAS, UTERO, TIREOIDE E TUMORES DE CABEÇA E PESCOÇO.
NIVEIS ELEVADOS TAMBEM PODEM OCORRER EM FUMANTES, INFLAMAÇÕES, INFECÇÕES, ULCERAS PEPTICAS, PANCREATITE, DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL, CIRROSE HEPÁTICA, ENFISEMA PULMONAR, POLIPOSE RETAL E DOENCA MAMARIA BENIGNA.
UMA VEZ QUE PODE SER ENCONTRADO EM PACIENTES SAUDAVEIS, O CEA NAO DEVE SER UTILIZADO COMO FERRAMENTA PARA TRIAGEM DE CÂNCER EM PACIENTES NORMAIS.



CELTZ - CELULAS HERPETICAS, (TZANCK)

PRAZO: 3.00
SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
BACTERIOLOGIA, FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 4 DIAS ) SINONIMIA:.
.
.
.
.
.
.
.
PESQ.
DE CÉLULAS GIGANTES, CÉLULAS DE INCLUSÃO VIRAL, CÉLULAS TZANCK MÉTODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLORAÇÃO DE GIEMSA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
INFORMAR MEDICAMENTOS EM USO MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
RASPADO DE ÚLCERA (LESÃO) OU BOLHA GENITAL, LABIAL OU EM LOCAL INDICADO PELO MÉDICO.
UMEDECER O SWAB FINO COM SALINA E RASPAR NO FUNDO DA LESÃO FAZER UM ESFREGAÇO COMO PARA UM GRAM.
SE HOUVER BOLHA, RETIRAR A PELE QUE A RECOBRE E COLHER NA BASE DA BOLHA.
RECIPIENTE:.
.
.
.
.
.
ESPERAR O ESFREGAÇO SECAR AO AR LIVRE E TRANSPORTAR EM PORTA-LÂMINA.
INTERFERENTE:.
USO DE MEDICAÇÃO LOCAL CONSERVAÇÃO:.
.
ESFREGAÇO, 5 DIAS EM TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE:.
.
.
.
TEMPERATURA AMBIENTE REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLETA INADEQUADA, ESFREGAÇO MAL FEITO VALOR DE REF.
.
.
.
AUSÊNCIA DE CÉLULAS GIGANTES (TZANCK) (USO EXCLUSIVO DO SETOR TÉCNICO)

APLICAÇÕES CLÍNICAS:A INFECÇÃO PELO HERPESVÍRUS SIMPLES PODE SER ASSINTOMÁTICA OU CAUSAR LESÕES DOLORODAS EM PELE E MUCOSAS.
NA INFECÇÃO PELO HERPESVIRUS E NA INFECÇÃO PELO VÍRUS VARICELA ZOSTER , CÉLULAS EPITELIAIS INFECTADAS MOSTRAM MUDANÇAS EM SUAS CARACTERÍSTICAS, INCLUINDO MULTINUCLEAÇÃO E MARGINAÇÃO DA CROMATINA.
A PRESENÇA DESTAS CÉLULAS (CÉLULAS DE TZANCK), NO EXSUDATO DAS LESÕES, OCORRE EM 50% DOS CASOS DE INFECÇÃO HERPÉTICA.
ESTE MÉTODO NÃO DIFERENCIA ENTRE INFECÇÕES PELO HERPES VIRUS TIPO I OU II.



CENTR - CENTROMERO, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : IMUNOFLUORESCÊNCIA INDIRETA PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS INTERVALO ENTRE MAMADAS PARA LACTENTES MATERIAL: SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 2,5 mL DE SORO INTERF.
: LIPEMIA, HEMÓLISE, DE 2 A 8° CONSERV.
: ATE 5 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO

CERUL - CERULOPLASMINA

PRAZO: 5.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
SINONÍMIA : COBRE OXIDASE / DOENÇA DE WILSON MÉTODO : NEFELOMETRIA PREPARO : * JEJUM DE 8 HORAS.
* INTERVALO ENTRE MAMADAS PARA LACTENTES MATERIAL : SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL.
VOLUME : 2,0 mL DE SORO.
CONSERV.
: ATE 5 DIAS REFRIGERADO.
TRANSPORTE: REFRIGERADO.
REJEIÇÃO: HEMOLISE, LIPEMIA, CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO.


CETONURI - CETONURIA

PRAZO: 5.00


CG2H075G - CURVA GLICEMICA 2 HORAS APOS DEXTROSOL

PRAZO: 2.00


CG2H1004 - CURVA GLICEMICA 2 HORAS 100G 4 DOSAGENS

PRAZO: 2.00


CG3 - GLICOSE 2 HORAS P/ DESJEJUM

PRAZO: 3.00
SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
BIOQUIMICA METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ENZIMATICO COLORIMÉTRICO PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
NÃO PRECISA DE JEJUM SEGUIR ORIENTAÇÃO MEDICA.
MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SANGUE (SORO OU PLASMA) CENTRIFUGAR SORO APOS 40 MIN DE COLETA RECIPIENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
FLUORETO (TAMPA CINZA) OU SORO VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MINIMO 1 ML INTERFERENTE:.
.
.
HEMOLISE CONSERVAÇÃO:.
.
.
.
TUBO DE SORO:REFRIGERADO: 3 DIAS FLUORETO:REFRIGERADO: 7 DIAS TRANSPORTE:.
.
.
.
.
.
REFRIGERADO APLICAÇÃO CLÍNICA :A GLICOSE É O PRINCIPAL CARBOHIDRATO UTILIZADO COMO FONTE SE ENERGIA.
ESTÁ EM VALORES AUMENTADOS NO DIABETES MELLITUS, E COMO SOFRE INFLUÊNCIA DA DIETA DEVE SER DOSADO EM CONDIÇÕES ESTABELECIDAS.
ACOMPANHADA DE SINTOMA COMO POLIÚRIA, POLIDIPSIA E PERDA DE PESO.
QUALQUER ACHADO POSITIVO DEVE SER CONFIRMADO EM OUTRA AMOSTRA PARA DIAGNÓSTICO.
VALORES BAIXOS DE GLICOSE NÃO FAZEM, ISOLADAMENTE, DIAGNÓSTICO DE HIPOGLICEMIA.
NESTE CASO OS VALORES BAIXOS DEVEM ESTAR ASSOCIADOS À SINTOMATOLOGIA, E O QUADRO DEVE SER REVERTIDO COM ADMINISTRAÇÃO DE GLICOSE.


CG3H100G - CURVA GLICEMICA 3 HORAS 100G - GESTANTE

PRAZO: 3.00
######## ATENÇAO: ESTE EXAME SO DEVERA SER CADASTRADO PARA PACIENTE DO SEXO FEMININO E GESTANTE.
########

CG5 - CURVA GLICEMICA 3 HORAS 4 DOSAGENS

PRAZO: 3.00
*** ATUALIZADO EM 22/05/2007 MARCOS TÚLIO *** NOME DO EXAME CURVA DE TOLERÂNCIA A GLICOSE 3 HORAS - EXCLUSIVO PARA NÃO GESTANTES SETOR : SM.
FEITO DIÁRIO ( 2 DIAS ) METODO : ENZIMATICO AUTOMATIZADO PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MANTER DIETA HABITUAL COLETA : COLHER JEJUM.
ADMINISTRAR A QUANTIDADE DE DEXTROSOL ESPECIFICADA PELO MÉDICO E COLHER OS PONTOS DE ACORDO COM AS ETIQUETAS: BASAL, 60, 120 E 180 MINUTOS.
MATERIAL : SANGUE ( PLASMA) CENTRIFUGAR ATÉ NO MÁXIMO 40 MIN APÓS COLETA, SEPARAR E REFRIGERAR.
RECIPIENTE: TUBO COM FLUORETO VOLUME : MÍNIMO 1 mL INTERF.
: HEMÓLISE, LIPEMIA CONSERV.
: TUBO DE SORO: ATÉ 12 HORAS REFRIGERADO FLUORETO: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO CRITÉRIOS REVISADOS PARA O DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS 1- SINTOMAS + GLICEMIA PLASMÁTICA ALEATÓRIA SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL 2- GLICEMIA APÓS 8 H DE JEJUM SUPERIOR OU IGUAL A 126 MG/DL 3- GLICEMIA 2 H APÓS DEXTROSOL SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL CADA UM DOS CRITÉRIOS ACIMA DEVE SER CONFIRMADO POR QUALQUER UM DOS TRÊS CRITÉRIOS EM DATA SUBSEQUENTE.
APLIC.
CLÍNICA: TESTE UTILIZADO PARA DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS.
VALORES ACIMA DE 200MG/DL SÃO DIAGNÓSTICOS DESDE QUE CONFIRMADOS EM OUTRA AMOSTRA.
OS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA DIABETES MELLITUS SÃO: - GLICEMIA DE JEJUM MAIOR QUE 126MG/DL - GLICEMIA 2 HORAS APÓS 75G DE DEXTROSOL MAIOR QUE 200MG/DL - GLICEMIA A QUALQUER HORÁRIO SUPERIOR A 200MG/DL, ACOMPANHADA DE SINTOMA COMO POLIÚRIA, POLIDIPSIA E PERDA DE PESO.
QUALQUER ACHADO POSITIVO DEVE SER CONFIRMADO EM OUTRA AMOSTRA PARA DIAGNÓSTICO.


CGABET - CURVA GLICEMICA ABERTA

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 29/05/2009 MARCOS TÚLIO *** NOME DO EXAME CURVA DE TOLERANCIA A GLICOSE 6 HORAS Adultos:75 g glicose anidra /Crianças: 1,75 g glicose anidra/GRÁVIDA 100 g SETOR : LABREDE (2 DIAS) SINONIMIA : CURVA DE GLICOSE METODO : ENZIMATICO COLORIMÉTRICO PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MANTER DIETA HABITUAL COLETA : COLHER JEJUM,60,120,180,240,300 E 360 MIN APOS DEXTROSOL.
DEXTROSE:ADULTO -75G VIA ORAL, CRIANCA-1,75 G/KG PESO MAXIMO:75 G VIA ORAL MATERIAL : SANGUE (SORO OU PLASMA)CENTRIFUGAR ATÉ NO MÁXIMO 40 MIN APÓS COLETA, SEPARAR E REFRIGERAR.
RECIPIENTE: FLUORETO (TAMPA CINZA) VOLUME : MINIMO 1 ML INTERF.
: HEMOLISE CONSERV.
: TUBO DE SORO:REFRIGERADO: 3 DIAS FLUORETO:REFRIGERADO: 7 DIAS TRANSPORTE: REFRIGERADO VALOR REF.
:JEJUM A 30 minutos : 60 a 110 mg/dl 60 MINUTOS A 120 MINUTOS: < 140 MG/DL CRITÉRIOS REVISADOS PARA O DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS 1- SINTOMAS + GLICEMIA PLASMÁTICA ALEATÓRIA SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL 2- GLICEMIA APÓS 8 H DE JEJUM SUPERIOR OU IGUAL A 126 MG/DL 3- GLICEMIA 2 H APÓS DEXTROSOL SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL CADA UM DOS CRITÉRIOS ACIMA DEVE SER CONFIRMADO POR QUALQUER UM DOS TRÊS CRITÉRIOS EM DATA SUBSEQUENTE.
APLIC.
CLINICA: TESTE UTILIZADO PARA DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS.
VALORES ACIMA DE 200MG/DL SÃO DIAGNÓSTICOS DESDE QUE CONFIRMADOS EM OUTRA AMOSTRA.
OS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA DIABETES MELLITUS SÃO: - GLICEMIA DE JEJUM MAIOR QUE 126MG/DL - GLICEMIA 2 HORAS APÓS 75G DE DEXTROSOL MAIOR QUE 200MG/DL - GLICEMIA A QUALQUER HORÁRIO SUPERIOR A 200MG/DL, ACOMPANHADA DE SINTOMA COMO POLIÚRIA, POLIDIPSIA E PERDA DE PESO.
QUALQUER ACHADO POSITIVO DEVE SER CONFIRMADO EM OUTRA AMOSTRA PARA DIAGNÓSTICO.


CGV - CURVA GLICEMICA 2 HORAS

PRAZO: 3.00
*** ATUALIZADO EM 22/05/2007 MARCOS TÚLIO *** NOME DO EXAME CURVA DE TOLERÂNCIA A GLICOSE 2 HORAS SETOR : SM.
FEITO DIÁRIO ( 2 DIAS ) SINONÍMIA: CURVA TOLERÂNCIA CLÁSSICA METODO : ENZIMATICO AUTOMATIZADO PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MANTER DIETA HABITUAL COLETA : COLHER JEJUM.
ADMINISTRAR A QUANTIDADE DE DEXTROSOL ESPECIFICADA PELO MÉDICO E COLHER OS PONTOS DE ACORDO COM AS ETIQUETAS: BASAL, 30, 60, 90 E 120 MINUTOS.
MATERIAL : SANGUE ( PLASMA) CENTRIFUGAR ATÉ NO MÁXIMO 40 MIN APÓS COLETA, SEPARAR E REFRIGERAR.
RECIPIENTE: TUBO COM FLUORETO VOLUME : MÍNIMO 1 mL INTERF.
: HEMÓLISE, LIPEMIA CONSERV.
: TUBO DE SORO: ATÉ 12 HORAS REFRIGERADO FLUORETO: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO CRITÉRIOS REVISADOS PARA O DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS 1- SINTOMAS + GLICEMIA PLASMÁTICA ALEATÓRIA SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL 2- GLICEMIA APÓS 8 H DE JEJUM SUPERIOR OU IGUAL A 126 MG/DL 3- GLICEMIA 2 H APÓS DEXTROSOL SUPERIOR OU IGUAL A 200 MG/DL CADA UM DOS CRITÉRIOS ACIMA DEVE SER CONFIRMADO POR QUALQUER UM DOS TRÊS CRITÉRIOS EM DATA SUBSEQUENTE.
APLIC.
CLÍNICA: TESTE UTILIZADO PARA DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS.
VALORES ACIMA DE 200MG/DL SÃO DIAGNÓSTICOS DESDE QUE CONFIRMADOS EM OUTRA AMOSTRA.
OS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA DIABETES MELLITUS SÃO: - GLICEMIA DE JEJUM MAIOR QUE 126MG/DL - GLICEMIA 2 HORAS APÓS 75G DE DEXTROSOL MAIOR QUE 200MG/DL - GLICEMIA A QUALQUER HORÁRIO SUPERIOR A 200MG/DL, ACOMPANHADA DE SINTOMA COMO POLIÚRIA, POLIDIPSIA E PERDA DE PESO.
QUALQUER ACHADO POSITIVO DEVE SER CONFIRMADO EM OUTRA AMOSTRA PARA DIAGNÓSTICO.


CH100 - COMPLEMENTO CH 100

PRAZO: 5.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : IMUNOENSAIO ENZIMATICO PREPARO : 8 HORAS DE JEJUM MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :1.
0 ML CONSEVAÇÃO : CONGELADO TRANSPORTE : CONGELADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CH50 - COMPLEMENTO SERICO DO CH 50

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : IMUNOENSAIO ENZIMATICO PREPARO : JEJUM DE 4 HORAS MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CHAGE - CHAGAS, ELISA

PRAZO: 3.00
SETOR : TERCEIRIZADO PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO.
MÉTODO : ELISA MATERIAL: SANGUE ( SORO ) VOLUME : MINIMO 1,0 ML CONSERVACAO: REFRIGERADA: 7 DIAS E CONGELADO: INDEFINIDAMENTE TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO : HEMOLISE E LIPEMIA EXCESSIVA APLIC.
CLINICA: A PESQUISA DE ANTICORPOS ANTI TRIPANOSOMA CRUZI NO DIAGNOSTICO DA DOENCA DE CHAGAS.
NOS INDIVIDUOS INFECTADOS,COM OU SEM DOENCA O HABITUAL E TERMOS REACAO POSITIVA NOS DOIS METODOS(IMUMOENZIMATICO INDIRETO E HEMAGLUTINACAO PASSIVA).
QUANDO A REACAO E POSITIVA EM SOMENTE UM DOS METODOS A VALORIZACAO DO RESULTADO DEPENDERA DA HISTORIA CLINICA,EXAME FISICO E OUTROS EXAMES COMPLEMENTARES (RX E ECG).
UTIL TANTO PARA O PACIENTE COM MANIFESTACOES CLINICAS COMO NOS QUADROS DE INFECCAO LATENTE, SEM EXPRESSAO CLINICA.
A DOENÇA DE CHAGAS É UMA DOENÇA INFECCIOSA CRÔNICA, CAUSADA PELO TRYPANOSOMA CRUZI, TRANSMITIDO PELAS FEZES DE TRIATOMÍ­NEOS (BARBEIRO).
O DIAGNÓSTICO LABORATORIAL NA FASE CRÔNICA DA DOENÇA, QUE INCLUI FORMAS INDETERMINADAS (ASSINTOMATICA), CARDÍACA E DIGESTIVA (MEGACÓLON, MEGAESÔFAGO), É ESSENCIALMENTE SOROLÓGICO.
COMO OS TESTES SOROLÓGICOS APRESENTAM LIMITAÇÕES, PRINCIPALMENTE DEVIDO A REAÇÕES CRUZADAS, SÃO NECESSARIAS DUAS OU MAIS REAÇÕES CONCORDANTES PARA DIAGNÓSTICO SOROLÓGICO.
OS TESTES MAIS UTILIZADOS NA PRÁTICA CLÍ­NICA PARA DIAGNÓSTICO DA DOENÇA DE CHAGAS SÃO IMUNOFLUORESCENCIA INDIRETA, HEMAGLUTINAÇÃO E ELISA.
A REAÇÃO DE MACHADO-GUERREIRO (REACAO DE FIXACAO DE COMPLEMENTO) FOI O PRIMEIRO TESTE UTILIZADO, MAS SE ENCONTRA EM DESUSO DEVIDO A BAIXA ESPECIFICIDADE E REPRODUTIBILIDADE.


CHAGF - CHAGAS IGG, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : IMUNOFENOTIPAGEM POR PLATAFORMA ÚNICA PREPARO : JEJUM NÃO NECESSARIO MATERIAL : SORO REFRIGERADO RECEPIENTE : TUBO SORO VOLUME : 2 mL CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CHAMF - CHAGAS IMUNOF IND IGM, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
METODO : IMUNOFLUORESCENCIA INDIRETA PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO MATERIAL : SANGUE (SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL DE SORO INTERFERENTES: LIPEMIA INTENSA E HEMOLISE CONSERVACAO: REFRIGERADO: 3 DIAS E CONGELADO: 2 MESES TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEICAO : LIPEMIA INTENSA.
REFERENCIA : NAO REAGENTE

CHAMIMF - CHLAMYDIA TRACHOMATIS IGG ANTICORPOS ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
PREPARO: JEJUM 8 HORAS MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO COM GEL VOLUME : 1,0 mL DE SORO INTERF.
: HEMOLISE CONSERV.
: REFRIGERADO ATÉ 5 DIAS TRANSPORTE: REFRIGERADO.
REJEICAO: HEMOLISE.


CHLACT - CHLAMYDIA TRACHOMATIS CULTURA

PRAZO: 7.00


CHLAIGG - CHLAMYDIA PNEUMONIAE IGG ANTICORPOS

PRAZO: 15.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: IMUNOFLUORESCENCIA INDIRETA PREPARO: JEUM DE 8 HORAS, INTERVALO ENTRE AS MAMADAS PARA LACTENTES MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: 1,0 mL CONSDERVAÇÃO: REFRIGERADO ENTRE 2 A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CHLAIGM - CHLAMYDIA PNEUMONIAE IGM ANTICORPOS

PRAZO: 15.00


CHPSIGG - CHLAMYDIA PSITTACI, ANTICORPOS IGG

PRAZO: 25.00


CHPSIGM - CHLAMYDIA PSITTACI, ANTICORPOS IGM

PRAZO: 25.00


CHUMB - CHUMBO SANGUE

PRAZO: 10.00
SETOR : TERCERIZADO METODO: ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO ATÔMICA (FORNO DE GRAFITE) PREPARO: * JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO * O TRABALHADOR DEVE ESTAR EM ATIVIDADE CONTINUAPOR 4 SEMANAS SEM AFASTAMENTO .
MATERIAL : SANGUE TOTAL EM HEPARINA.
RECIPIENTE: TUBO COM HEPARINA.
(TAMPA AZUL OU VERDE ) VOLUME : IDEAL: 7 ML/ MINIMO: 5 ML CONSERV.
: ATÉ 5 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO OBSERVACAO: NÃO DEIXAR QUE MATERIAL ESTEJA EM CONTATO DIRETO COM O GELO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃOE TRANSPORTE INADEQUADO

CHURI - CHUMBO URINARIO

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO COM FORMO DE GRAFITE PREPARO : URINA DO FINAL DA JORNADA DE TRABALHO MATERIAL : URINA RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME : 30.
0 mL CONSEVAÇÃO : SOB REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CHUU - CHUMBO - URINA ALEATORIA

PRAZO: 7.00


CHUU24H - CHUMBO DOSAGEM URINA 24HS

PRAZO: 14.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: ABSORÇÃO ATOMICA ( FORNO DE GRAFITE) PREPARO: COLETAR URINA APOS JORNADA DE TRABALHO MATERIAL: URINA DO FINAL DA JORNADA DE TRABALHO RECIPIENTE: FRASCO ESTERIL VOLUME: 50 mL CONSERVAÇÃO: SOB REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CICLO - CICLOSPORINA

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
MÉTODO : IMUNOENSAIO ENZIMÁTICO PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO.
COLHER ANTES DA PRÓXIMA DOSE OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA MATERIAL : SANGUE TOTAL EM EDTA RECIPIENTE: TUBO COM EDTA (TAMPA ROXA) VOLUME : MINIMO 5,0 mL CONSERVAÇÃO: ATE 7 DIAS REFRIGERADO DE 2 A 8° OBSERVAÇÃO : PRENCHER QUESTIONARIO DE DROGAS REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO.


CIST - CISTATINA C

PRAZO: 5.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : NEFELOMETRIA PREPARO : 8 HORAS DE JEJUM MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :2 mL CONSEVAÇÃO : SOB REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CISTS - CISTICERCOSE

PRAZO: 5.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ELISA PREPARO : JEJUM 4 HORAS MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME : 1 mL CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CISTU - CISTINA, PESQUISA QUANTITATIVA

PRAZO: 6.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : COLORIMÉTRICO (HENRY) PREPARO : COLETA DE URINA 24 H.
MISTURAR AS AMOSTRAS E ANOTAR VOLUME FINAL.
ENVIAR ALÍQUOTA DE NO MÍNIMO 25 mL MATERIAL : URINA RECEPIENTE : FRASCO STEREO VOLUME : 50 mL CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CISTUR - CISTINURIA URINA AMOSTRA UNICA

PRAZO: 7.00


CITESP - ACIDO CITRICO - CITRATO ( ESPERMA )

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: COLORIMETRICO PREPARO: NÃO É NECESSÁRIO ABCSTINÊNCIA SEXUAL.
O MATEROAL DEVE SER ENCAMINHADO IMEDIATAMENTE APOS A COLETA PARA O SETORDE REALIZAÇÃO DO EXAME.
MATERIAL: ESPERMA RECIPIENTE: FRASCO FORNECIDO PELO LABORATÓRIO VOLUME: 2,0 mL CONSERVAÇAÕ: AMOSTRA CONGELA TRANSPORTE: REFIGERADA DE 2 A 8° REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO.


CITLQ - CITOLOGIA LIQUOR

PRAZO: 4.00


CITOLOG - CITOLOGIA DE LIQUIDOS CORPORAIS

PRAZO: 3.00
SETOR: HEMATOLOGIA METODO: MICROSCOPIA PREPARO: JNO MATERIAL: LIQUIDO PLEURAL, ASCITICO, PERICARDIO, LIQUOR, SINOVIAL, ETC RECIPIENTE: FRASCO ESTERIL VOLUME: VARIAVEL CONSERVACAO: SOB REFRIGERACAO TRANPORTE: SOB REFRIGERACAO APLICAÇÃO CLINICA: USO: AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS INFLAMATÓRIOS AGUDOS E CRÔNICOS DO SNC.
AS INFECÇÕES DO SNC PODEM SER DIVIDIDAS EM VÁRIAS CATEGORIAS QUE, EM GERAL, PODEM SER PRONTAMENTE DISTINGUIDAS ENTRE SI ATRAVÉS DO LÍQUOR, COMO PRIMEIRO PASSO AO DIAGNÓSTICO ETIOLÓGICO.
O EXAME COMPREENDE VÁRIAS ETAPAS: 1.
ASPECTOS FÍSICOS: COR, TURBIDEZ ANTES E APÓS CENTRIFUGAÇÃO.
2.
ANÁLISES BIOQUÍMICAS: ÁCIDO LÁTICO, GLICOSE, PROTEÍNAS, CLORETOS.
3.
CITOLOGIA: LEUCÓCITOS, HEMÁCIAS E DIFERENCIAL DE LEUCÓCITOS.
4.
MICROBIOLOGIA: BACTERIOSCOPIA POR GRAM, ZIEHL, MGG, CULTURA.
5.
MICOLOGIA: PESQUISA DE FUNGOS, TINTA DA CHINA.
6.
SOROLOGIA: LUES, TOXOPLASMOSE, CISTICERCOSE, HIV.
7.
BIOLOGIA MOLECULAR (PESQUISA DE ANTÍGENOS): HERPES, TUBERCULOSE, TOXOPLASMOSE E OUTROS.
REJEIÇAO

CITOM - CITOMETRIA E CITOLOGIA

PRAZO: 2.00
*** REVISADO 28/05/2008 MARCOS TÚLIO *** NOME DO EXAME: CITOMETRIA, LÍQUIDOS BIOLÓGICOS NÃO É OBRIGATÓRIO EDTA SETOR : BACTERIOLOGIA/URINÁLISE ( 4 DIAS ) MÉTODO : PREPARO : COLETA REALIZADA PELO MÉDICO MATERIAL : 1,0 mL LÍQUIDO ASCÍTICO: COLETA EM EDTA 5,0 mL LÍQUIDO BRONCOALVEOLAR: COLETA EM EDTA 1,0 mL LÍQUIDO PLEURAL: COLETA EM EDTA CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE : LÍQUIDO ASCÍTICO: ATÉ 6 HORAS REFRIGERADO LAVADO BRONCOALVEOLAR: ATÉ 1 HORA REFRIGERADO LÍQUIDO PLEURAL: ATÉ 6 HORAS REFRIGERADO APLIC.
CLÍNICA: O ESTUDO DOS LÍQUIDOS CORPORAIS É FERRAMENTA INDISPENSÁVEL PARA O DIAGNÓSTICO, MONITORAÇÃO E PROGNÓSTICO DE PROCESSOS INFECCIOSOS, INFLAMATÓRIOS, HEMORRÁGICOS E MESMO NEOPLÁSICOS DESSAS CAVIDADES.
É UTILIZADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS PROCESSOS EM AGUDOS OU CRÔNICOS, LOCAIS OU SISTÊMICOS, BACTERIANOS, VIRÓTICOS OU FÚNGICOS.
O AUMENTO DE CELULARIDADE E SUAS PARTICULARIDADES COM PREDOMÍNIO DAS FORMAS POLIMORFONUCLEARES OU LINFOMONOCITÁRIAS, ALIADAS AS DETERMINAÇÕES BIOQUÍMICAS, EXAMES BACTERIOLÓGICOS E IMUNOLÓGICOS DEFINE A PRESENÇA E RESPOSTA AO TRATAMENTO DE MENINGITES, PNEUMONIAS, ARTRITES E PERITONITES.


CITOMET - CITOMETRIA LIQUIDOS CORPORAIS

PRAZO: 3.00
SETOR: HEMATOLOGIA METODO: MICROSCOPIA PREPARO: JNO MATERIAL: LIQUIDO PLEURAL, ASCITICO, PERICARDIO, LIQUOR, SINOVIAL, ETC RECIPIENTE: FRASCO ESTERIL VOLUME: VARIAVEL CONSERVACAO: SOB REFRIGERACAO TRANPORTE: SOB REFRIGERACAO APLICAÇÃO CLINICA: USO: AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS INFLAMATÓRIOS AGUDOS E CRÔNICOS DO SNC.
AS INFECÇÕES DO SNC PODEM SER DIVIDIDAS EM VÁRIAS CATEGORIAS QUE, EM GERAL, PODEM SER PRONTAMENTE DISTINGUIDAS ENTRE SI ATRAVÉS DO LÍQUOR, COMO PRIMEIRO PASSO AO DIAGNÓSTICO ETIOLÓGICO.
O EXAME COMPREENDE VÁRIAS ETAPAS: 1.
ASPECTOS FÍSICOS: COR, TURBIDEZ ANTES E APÓS CENTRIFUGAÇÃO.
2.
ANÁLISES BIOQUÍMICAS: ÁCIDO LÁTICO, GLICOSE, PROTEÍNAS, CLORETOS.
3.
CITOLOGIA: LEUCÓCITOS, HEMÁCIAS E DIFERENCIAL DE LEUCÓCITOS.
4.
MICROBIOLOGIA: BACTERIOSCOPIA POR GRAM, ZIEHL, MGG, CULTURA.
5.
MICOLOGIA: PESQUISA DE FUNGOS, TINTA DA CHINA.
6.
SOROLOGIA: LUES, TOXOPLASMOSE, CISTICERCOSE, HIV.
7.
BIOLOGIA MOLECULAR (PESQUISA DE ANTÍGENOS): HERPES, TUBERCULOSE, TOXOPLASMOSE E OUTROS.
REJEIÇAO

CITOPCR - CITOMEGALOVIRUS PCR

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : REAL TIME - PCR (REAÇÃO EM CADEIA PELA POLIMERASE) REPARO : JEJUM DE 4HS MATERIAL : LIQUOR RECEPIENTE : TUBO ESTERIO VOLUME : 5 ML CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CITRSO - ACIDO CITRICO CITRATO - SORO

PRAZO: 7.00


CITRU - ACIDO CITRICO - CITRATO URINA 24 HORAS

PRAZO: 12.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
SINONIMIA : CITRATÚRIA, ÁCIDO CÍTRICO.
METODO : ENZIMÁTICA COLIMETRICA MATERIAL : URINA DE 24 HORAS COM HCL 50% (20mL/L ADULTOS E 10mL/L MENORES DE 12 ANOS) RECIPIENTE: FRASCO DE POLIETILENO COM HCL 50%.
VOLUME : 2 ALIQUOTAS DE 50 mL.
PREPARO :* URINA 24 HORAS COM HCL * DESPREZAR A PRIMEIRA URINA DA MANHÃ, MARCAR O HORÁRIO E APARTIR DAI COLHER TODAS AS MICÇÕES ATE O MESMO HORÁRIO NO DIA SEGUINTE * INFORMAR VOLUME TOTAL * INFORMAR MEDICAMENTO CONSERV.
: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO OU NÃO.
TRANSPORTE: REFRIGERADO OU NAO.


CITRU2 - RELAÇÃO ACIDO CITRICO/CREATININA

PRAZO: 4.00
> REVISADO 26/11/2010 POR MOZART MACHADO > EXAME EXTERNO.
NAO MARCAR URGENCIA!! > OBRIGATÓRIO USAR HCL 50% 1 mL PARA 1 FRASCO DE URINA COM 50 mL > COLHER NO FRASCO PRÓPRIO PARA CITRATO EM URINA ALEATÓRIA > ESTE FRASCO TEM QUE POSSUIR 1mL DE CONSERVANTE (HCL 50%) > MATERIAL: URINA JATO MEDIO > VOLUME: FRASCO COM 50 mL.
> CONSERV.
: ATÉ 7 DIAS COM CONSERVANTE.
REFRIGERAÇÃO (FACULTATIVA).
> TRANSPORTE: REFRIGERAÇÃO (FACULTATIVA).
> APLIC.
CLINICA: A DETERMINAÇÃO DO ÁCIDO CÍTRICO NA URINA É UTILIZADA NA EXPLORAÇÃO DO METABOLISMO DO FÓSFORO E CÁLCIO, DAS TUBULOPATIAS E DOS ÁCIDOS DO CICLO DE KREBS.
O CITRATO TEM IMPORTÂNCIA MARCANTE NA CALCULOSE URINÁRIA RECIDIVANTE.
A HIPOCITRATÚRIA PODE OCORRER DE FORMA ISOLADA OU ASSOCIADA A HIPERCALCIÚRIA, HIPERURICOSURIA, HIPEROXALÚRIA E DISTÚRBIOS INSTESTINAIS.
O CITRATO ADMINISTRADO VIA ORAL LEVA A UM AUMENTO NA REABSORÇÃO TUBULAR RENAL DE CÁLCIO, PROMOVENDO HIPOCALCIURIA.
A ELEVAÇÃO DO PH URINÁRIO, QUE ACOMPANHA A ADMINISTRAÇÃO DE CITRATO, AUMENTA A SOLUBILIZAÇÃO DO ÁCIDO ÚRICO.
A SUPLEMENTAÇÃO DE CITRATO REDUZ A TAXA DE FORMAÇÃO DE NOVOS CÁLCULOS E O CRESCIMENTO DOS CALCULOS JÁ EXISTENTES.


CKMB - CK-MB - CREATINOFOSFOQUINASE - ISOENZIMA

PRAZO: 3.00
SETOR: TERCEIRIZADO.
HERMES PARDINI.
FEITO DIÁRIO SINONIMIA: CREATINOQUINASE MB, CREATINO FOSFOQUINASE, FRAÇÃO MB DA CK.
MÉTODO: ENZIMÁTICO PREPARO: JEJUM NAO OBRIGATORIO MATERIAL: SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL.
VOLUME: 2,0 mL.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO:ATÉ 7 DIAS.
TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: LIPEMIA OU HEMOLISE APLICAÇÃO CLÍNICA :DOSAGEM ÚNICA DE CK-MB TEM SENSIBILIDADE DE 50% A ENTRADA DO PACIENTE NO PRONTO SOCORRO, SENDO QUE MEDIDAS SERIADAS AUMENTAM SUA SENSIBILIDADE PARA 90% NO DIAGNÓSTICO DO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO.
É DETECTÁVEL EM 4 A 6 HORAS APÓS LESÃO MIOCÁRDICA, OCORRENDO PICO EM 12 A 24 HORAS E RETORNO A NÍVEIS NORMAIS EM 2 A 3 DIAS.
A CK-MB REPRESENTA 20% DO TOTAL DA CREATINOQUINASE PRESENTE NO MIOCÁRDIO E 3% DA CREATINOQUINASE PRESENTE NA MUSCULATURA ESQUELÉTICA, PODENDO-SE ENCONTRAR NÍVEIS ELEVADOS EM PACIENTES COM DOENÇAS E TRAUMAS DA MUSCULATURA ESQUELÉTICA.
A PRESENÇA DE MACRO-CPK MB (COMPLEXO DE IMUNOGLOBULINAS E CPK MB) CAUSA ELEVAÇÕES DE CPK MB ACIMA DOS VALORES DA CPK TOTAL.


CLA - CARDIOLIPINA IGA - AUTO ANTICORPOS

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO METODO: FEIA - (FLUOROMETRIC ENZYME IMMUNOASSAY) PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO MATERIAL: SORO (SANGUE) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME: 2 ML CONSERVACAO: SOB REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEICAO: AMOSTRA NÃO REFRIGERADA

CLAMP - CHLAMYDIA TRACHOMATIS - PESQUISA DIRETA

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 28/05/2008 MARCOS TÚLIO *** NOME DO EXAME : PESQUISA DIRETA DE CHLAMYDIA SETOR : TERCEIRIZADO.
RECEBIMENTO DIÁRIO (4 DIAS) SINONIMIA: PESQUISA DE CLAMYDIA MÉTODO : IMUNOFLUORESCÊNCIA DIRETA PREPARO : MULHER-NÃO ESTAR EM USO DE CREME VAGINAL 24 HORAS ANTES DA REALIZAÇÃO DO EXAME OU CONFORME ORIENTAÇÃO MEDICA.
MATERIAL : RASPADO URETRAL, ENDOCERVICAL, CONJUNTIVAL, E PUS DE BUBAO,.
PREPARO : COLETA-SWAB ENDOCERVICAL: CERTIFICAR-SE DE QUE A PACIENTE NÃO É VIRGEM.
PASSAR O ESPÉCULO VAGINAL, VISUALIZAR O COLO UTERINO E FAZER LIMPEZA RIGOROSA, RETIRANDO SECREÇÃO E MUCO.
INTRODUZIR A ESCOVINHA CYTOBRUSH NO CANAL ENDOCERVICAL, COM MOVIMENTOS CIRCULARES.
EM SEGUIDA RETIRAR E FAZER ESFREGAÇO EM LÂMINA COM CÍRCULO CENTRAL FORNECIDO PELO SETOR.
ESPERAR SECAR E FIXAR COM ACETONA COMERCIAL.
O SWAB URETRAL EM MULHER: INTRODUZIR O SWAB FINO NO CANAL URETRAL, COM MOVIMENTOS CIRCULARES.
FAZER ESFREGAÇO EM LAMINA COM CIRCULO CENTRAL FORNECIDO PELO SETOR.
ESPERAR SECAR E FIXAR COM ACETONA COMERCIAL.
SWAB URETRAL EM HOMENS:INTRODUZIR A ESCOVINHA CITOBRUSH NO CANAL URETRAL GIRAR PARA OBTENÇÃO DE CÉLULAS, FAZER ESFREGAÇO.
CONJUNTIVA: FAZER LIMPEZA RIGOROSA DO OLHO.
INTRODUZIR O SWAB NA PARTE INTERNA DA PÁLPEBRA INFERIOR, COM MOVIMENTOS CIRCULARES.
FAZER ESFREGAÇO EM LÂMINA COM CÍRCULO CENTRAL FORNECIDO PELO SETOR.
ESPERAR SECAR E FIXAR COM METANOL (P.
A).
URINA 1º JATO: FAZER ESFREGAÇO EM LÂMINA COM CÍRCULO CENTRAL FORNECIDO PELO SETOR.
ESPERAR SECAR E FIXAR COM METANOL (P.
A).
RECIPIENTE : ENVIAR NO PORTA LÂMINA INTERFERÊNCIA : USO DE CREME VAGINAL CONSERVAÇÃO : TEMPERATURA AMBIENTE - 4 DIAS TRANSPORTE : TEMPERATURA AMBIENTE REJEIÇÃO : MATERIAL VAGINAL, CASO CLIENTE ESTEJA USANDO ALGUM CREME VAGINAL.
SE O MÉDICO PEDIR, COLHER ASSIM MESMO COLOCAR NO ALT L.
VALOR DE REFERÊNCIA: NÃO REAGENTE APLIC CLÍNICA: ÚTIL NO DIAGNÓSTICO DE CONJUTIVITES, URETRITES POR CHLAMYDIA.


CLEAC - CLEAREANCE DE CREATININA, URINA 24 HORAS

PRAZO: 3.00
COLHER UMA AMOSTRA DE SORO NO DIA QUE O CLIENTE ENTREGAR A AMOSTRA REGISTRAR PESO E ALTURA.
SETOR : BIOQUIMICA SINONIMIA: DEPURACAO DE CREATININA/TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR/ GFR / CREATININÚRIA METODO : ENZIMÁTICO AUTOMATIZADO PREPARO : DESPREZAR PRIMEIRA URINA DA MANHÃ, MARCAR O HORÁRIO E A PARTIR DAI COLHER TODAS AS URINAS POR UM PERIODO DE 24 HORAS.
MARCAR O HORÁRIO INICIAL E HORÁRIO FINAL.
MATERIAL : URINA DE 24 HORAS REFRIGERADA.
COLHER CREATININA NO SORO NA ENTREGA DO MATERIAL.
RECIPIENTE : FRASCO DE POLIETILENO SEM CONSERVANTE.
VOLUME : ANOTAR VOLUME FINAL INTERF.
: USO DE CEFALOSPORINAS, SE POSSÍVEL INTERROMPER MEDICAMENTOS EM USO.
MANTER HIDRATAÇÃO USUAL.
CONSERV.
: ATÉ 5 DIAS REFRIGERADO.
TRANSPORTE: REFRIGERADO OBSERVACAO : ANOTAR PESO E ALTURA DO PACIENTE.
COLHER AMOSTRA DE SANGUE PARA CREATININA.
APLIC.
CLINICA: O CÁLCULO DO CLEARANCE DE CRETININA A PARTIR DA DOSAGEM DE CRETATININA NO SORO E EM URINA DE 24 HORAS É USADO NA TENTATIVA DE ESTIMAR A TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR.
É O MELHOR MÉTODO PARA AVALIAÇÃO DE FUNÇÃO RENAL DISPONÍVEL, PRINCIPALMENTE NA AVALIAÇÃO DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA.
VALORES DE CREATININA OU URÉIA SÉRICA ISOLADOS, GERALMENTE SÓ SE ALTERAM APÓS PERDA DE MAIS DE 50% DA FUNÇÃO RENAL.
O CLERANCE DE CRETININA É UM MARCADOR MAIS SENSÍVEL DE INSUFICIÊNCIA RENAL.
APESAR DISTO, APRESENTA LIMITAÇÕES DEVIDO À COLETA DE URINA DE 24 HORAS, PRINCIPALMENTE NA POPULAÇÃO PEDIÁTRICA E GERIÁTRICA.


CLEAC12 - CLEARENCE DE CREATININA, URINA DE 12H

PRAZO: 3.00
COLHER UMA AMOSTRA DE SORO NO DIA QUE O CLIENTE ENTREGAR A AMOSTRA REGISTRAR PESO E ALTURA.
SETOR : BIOQUIMICA SINONIMIA: DEPURACAO DE CREATININA/TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR/ GFR / CREATININÚRIA METODO : ENZIMÁTICO AUTOMATIZADO PREPARO : DESPREZAR PRIMEIRA URINA DA MANHÃ, MARCAR O HORÁRIO E A PARTIR DAI COLHER TODAS AS URINAS POR UM PERIODO DE 12 HORAS.
MARCAR O HORÁRIO INICIAL E HORÁRIO FINAL.
MATERIAL : URINA DE 12 HORAS REFRIGERADA.
COLHER CREATININA NO SORO NA ENTREGA DO MATERIAL.
RECIPIENTE : FRASCO DE POLIETILENO SEM CONSERVANTE.
VOLUME : ANOTAR VOLUME FINAL INTERF.
: USO DE CEFALOSPORINAS, SE POSSÍVEL INTERROMPER MEDICAMENTOS EM USO.
MANTER HIDRATAÇÃO USUAL.
CONSERV.
: ATÉ 5 DIAS REFRIGERADO.
TRANSPORTE: REFRIGERADO OBSERVACAO : ANOTAR PESO E ALTURA DO PACIENTE.
COLHER AMOSTRA DE SANGUE PARA CREATININA.
APLIC.
CLINICA: O CÁLCULO DO CLEARANCE DE CRETININA A PARTIR DA DOSAGEM DE CRETATININA NO SORO E EM URINA DE 12 HORAS É USADO NA TENTATIVA DE ESTIMAR A TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR.
É O MELHOR MÉTODO PARA AVALIAÇÃO DE FUNÇÃO RENAL DISPONÍVEL, PRINCIPALMENTE NA AVALIAÇÃO DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA.
VALORES DE CREATININA OU URÉIA SÉRICA ISOLADOS, GERALMENTE SÓ SE ALTERAM APÓS PERDA DE MAIS DE 50% DA FUNÇÃO RENAL.
O CLERANCE DE CRETININA É UM MARCADOR MAIS SENSÍVEL DE INSUFICIÊNCIA RENAL.
APESAR DISTO, APRESENTA LIMITAÇÕES DEVIDO À COLETA DE URINA DE 24 HORAS, PRINCIPALMENTE NA POPULAÇÃO PEDIÁTRICA E GERIÁTRICA.


CLEAU - CLEARENCE DE UREIA URINA 24 HORAS

PRAZO: 3.00
COLHER UMA AMOSTRA DE SORO NO DIA QUE O CLIENTE ENTREGAR A AMOSTRA REGISTRAR PESO E ALTURA.
SETOR : BIOQUIMICA SINONIMIA: DEPURACAO DE UREIA METODO: CINÉTICA AUTOMATIZADO PREPARO : DESPREZAR PRIMEIRA URINA DA MANHÃ, MARCAR O HORÁRIO E A PARTIR DAI COLHER TODAS AS URINAS POR UM PERIODO DE 24 HORAS.
MARCAR O HORÁRIO INICIAL E HORÁRIO FINAL.
MATERIAL : URINA DE 24 HORAS REFRIGERADA.
COLHER UREIA NO SORO NA ENTREGA DO MATERIAL.
RECIPIENTE : FRASCO DE POLIETILENO SEM CONSERVANTE.
VOLUME : ANOTAR VOLUME FINAL

CLOLR - CLORETOS

PRAZO: 3.00
SETOR : BIOQUIMICA SINONIMIA: CLORETO/CLORO METODO : ELETRODO SELETIVO PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS.
MATERIAL : SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL (TAMPA AMARELA).
VOLUME : 1,0 ML.
CONSERV.
: REFRIGERADO:2 DIAS E CONGELADO:7 DIAS TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEICAO : LIPEMIA OU HEMOLISE VALOR DE REF.
: HOMENS - 3,5 A 7,2 MG/DL MULHERES - 2,6 A 6,0 MG/DL APLIC.
CLÍNICA:A DETERMINAÇÃO DO ÁCIDO ÚRICO EM AMOSTRAS DE SANGUE, URINA E OUTROS LÍQUIDOS BIOLÓGICOS É ÚTIL NA AVALIAÇÃO DO METABOLISMO DA PURINA, ADENOSINA E GUANOSINA.
ALTERAÇÕES DA CONCETRAÇÃO DE ÁCIDO ÚRICO SÉRICO PODEM OCORRRER EM DIVERSAS SITUAÇÕES CLÍNICAS ALÉM DA GOTA.
GOTA, INSUFICIÊNCIA RENAL, ACIDOSE (POR DIVERSAS CAUSAS), NEOPLASIAS E USO DE DIVERSOS MEDICAMENTOS PODEM ESTAR ASSOCIADOS A VALORES AUMENTADOS DE ÁCIDO ÚRICO.
VALORES BAIXOS PODEM SER ENCONTRADOS EM DIETA POBRE EM PROTEÍNAS, DOENÇAS TUBULARES RENAIS, DOENÇA HEPÁTICA GRAVE, SECREÇÃO INAPROPRIADA DE HORMÔNIO ANTI-DIURÉTICO DENTRE OUTROS.


CLONAZ - CLONAZEPAN

PRAZO: 25.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : CROMATOGRAFIA LIQUIDA DE ALTA PERMFORMACE - HPLC PREPARO : JEJUM DESEJAVEL DE 4 HORAS (ALIMENTAR) OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME : 1,5 mL CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CLORET - CLORETOS URINA ALEATORIA

PRAZO: 3.00
SETOR:.
BIOQUMICA SINONIMIA: CLORETO URINÁRIO/ CLORO URINÁRIO/ Cl URINÁRIO METODO: COLORIMÉTRICO MATERIAL:.
.
URINA ALEATÓRIA - JATO MÉDIO DA 1ª URINA DA MANHÃ OU 4 HORAS APÓS RETENÇÃO.
RECIPIENTE:.
.
FRASCO DE POLIETILENO VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
50 mL CONSERVERCAO:.
.
.
REFRIGERADO TRANSPORTE:.
.
.
.
.
.
.
.
REFRIGERADO REJEICAO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TEMPERATURA AMBIENTE REFERÊNCIA: CONSERV.
: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO APLIC.
CLINICA: A DOSAGEM DE CLORETO NA URINA É USADA PARA AVALIAR O BALANÇO ÁCIDO-BÁSICO.
NA PRÁTICA CLÍNICA É USADO COMO AUXILIAR NA AVALIAÇÃO DE ALCALOSE METABÓLICA.
PODE SER ÚTIL, AINDA NO CÁLCULO DE ÂNION GAP URINÁRIO, NA AVALIAÇÃO INICIAL DE ACIDOSE METABÓLICA HIPERCLORÊMICA.


CLORLIQ - CLORETOS LIQUOR

PRAZO: 2.00


CLORU - CLORETOS URINA 24 HORAS

PRAZO: 5.00
SETOR : TERCERIZADO METODO : ELETRODO SELETIVO/AUTOMATIZADO PREPARO : COLETAR URINA DE 24HS MATERIAL : URINA DE 24 HS RECIPIENTE : FRASCO ESTERIL VOLUME : 50 mL CONSERVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO : AMOSTRA INSUFICIENTE, CONSERVAÇÃO INADEQUADA

CLOSR - CLORETOS

PRAZO: 0.00


CMICOP - MYCOPLASMA HOMONIS, CULTURA

PRAZO: 6.00
SETOR : TERCERIZADO MÉTODO : ISOLAMENTO EM MEIO DE CULTURA PREPARO : AGUARDAR 7 DIAS APÓS O USO DE ANTIBIÓTICOS OU CONFORME ORIENT.
MÉDICA.
*COLETA URETRAL E VULVAR: VIR PARA A COLETA, PREFERENCIALMENTE PELA MANHÃ SEM URINAR, OU ESTAR SEM URINAR HÁ PELO MENOS 4 HORAS.
*MULHERES-NÃO ESTAR MESTRUADA NEM EM USO DE CREME VAGINAL, -NÃO USAR DESINFETANTES OU MEDICAÇÕES TÓPICAS (CASO ESTEJA EM USO, AGUARDAR 48 HORAS APÓS O TÉRMINO).
-NÃO REALIZAR HIGIENE/BANHO NO DIA DA COLETA; -NÃO TER RELAÇÃO SEXUAL NAS ÚLTIMAS 24 HORAS ANTERIORES AO EXAME.
-NÃO DEVERÁ TER FEITO DUCHA VAGINAL NAS 24 HORAS ANTERIORES AO EXAME; *NÃO DEVE TER FEITO EXAME GINECOLÓGICO COM O USO DE IODO OU ÁCIDO ACÉTICO NAS ÚLTIMAS 24 HORAS; MATERIAL: SECRECAO URETRAL, SECRECAO VAGINAL, SWAB ENDOCERVICAL, ESPERMA, 1ºJATO URINARIO.
RECIPIENTE: SWAB STURT PARA SECREÇÕES, FRASCO ESTÉRIL PARA URINA E ESPERMA.
VOLUME: - URINA 1º JATO: 20 ML.
- DEMAIS AMOSTRAS: 1,0 ML.
CONSERVAÇÃO: EM MEIO DE TRANSPORTE DULBECCO'S (ROSA) ATE 12 HORAS A TEMPERATURA AMBIENTE, OU ATE 24 HORAS REFRIGERADO ENTRE 2º E 8º C.
REJEIÇÃO: USO DE ANTIBIOTICOS E MEDICACOES TOPICAS.


CMN - CITOMEGALOVIRUS NEONATAL

PRAZO: 8.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ENZIMAIMUNOENSAIO PREPARO : COLHER DO PEZINHO UMA GOTA DE SANGUE EM PAPEL FILTRO VAZADA NOS DOIS LADOS DO PAPEL.
DEIXAR SECAR E ENVOLVER EM PAPEL ALUMÍNIO.
MATERIAL : PAPEL FILTRO SANGUE TOTAL RECEPIENTE : PAPEL FILTRO SANGUE TOTAL VOLUME : PAPEL FILTRO SANGUE TOTAL CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CMVEL - CITOMEGALOVIRUS IGG, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
MÉTODO : ELETROQUIMIOMUNESCÊNCIA PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO MATERIAL : SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
INTERF.
: LIPEMIA OU HEMOLISE INTENSAS.
CONSERV.
: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2 A 8° TRANSPORTE : REFRIGERADO.
REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO.


CMVGAV - CITOMEGALOVIRUS - TESTE DE AVIDEZ IGG

PRAZO: 5.00


CMVM - CITOMEGALOVIRUS IGM, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
MÉTODO : ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO : JEJUM NÃO OBOBRIGATÓRIO .
SE GRÁVIDA INFORMAR O MES DE GESTAÇÃO.
MATERIAL : SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL.
VOLUME : 1,0 mL.
INTERF.
: LIPEMIA OU HEMÓLISE INTENSAS.
CONSERV.
: ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO.
REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO.


CO18 - CORTISOL 18 HORAS

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 14/06/2010 ANARA *** NOME DO EXAME: CORTISOL (COLETA ÀS 18 HORAS) SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
LSM.
FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 2 DIAS) METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ELETROQUIMIOLUMINESCENCIA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLHER EXATAMENTE ÀS 18 HORAS.
ORIENTAR O CLIENTE A CHEGAR 15 MINUTOS ANTES DA COLETA MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SANGUE (SORO) RECIPENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MINIMO 1,0 mL CONSERVAÇÃO:.
.
.
REFRIGERADO: 7 DIAS E CONGELADO: 3 MESES TRANSPORTE:.
.
.
.
.
REFRIGERADO

COAGL - COAGULOGRAMA COMPLETO

PRAZO: 3.00
SETOR : HEMATOLOGIA.
FEITO DIÁRIO SINONÍMIA : PLAQUETAS, TPB E PTT METODO : COAGULOMÉTRICO PREPARO : JNO.
ANOTAR MEDICAMENTOS UTILIZADOS NOS ÚLTIMOS 10 DIAS.
*** COLHER SEM TRAUMA VENOSO OU GARROTEAMENTO PROLONGADO.
SEPARAR O PLASMA EM NO MÁXIMO 4 HORAS APÓS A COLETA.
MATERIAL : PLASMA RECIPIENTE: CITRATO 3,8% (TAMPA AZUL) E EDTA (TAMPA ROXA).
VOLUME : MINIMO 2,7 mL TRANSPORTE: TEMP.
AMBIENTE (15-25ºC) CONSERVAÇÃO: TPB: ATÉ 6 HORAS EM TEMP.
AMBIENTE PTT: ATÉ 6 HORAS EM TEMP.
AMBIENTE PLA: ATÉ 24 HORAS EM TEMP.
AMBIENTE OU OU ATÉ 72 HORAS REFRIGERADO INTERF.
: COLETA TRAUMÁTICA, PROPORÇÃO INCORRETA ENTRE ANTICOAGULANTE SANGUE, CONTRACEPTIVO ORAL E GESTAÇÃO, HEPARINA, PDF OU PARA- PROTEINAS CIRCULANTES.
VALOR DE REF.
: TPB: RELAÇÃO PAC.
/CONTROLE: ATÉ 1,30 RNI (PAC.
ANTICOAGULADO): 2,0 A 3,0 ATIV.
PROTROMBINA: 75 A 100% PTT: RELAÇÃO PACIENTE/CONTROLE: 0,80 A 1,30 PLA: 150.
000 a 400.
000/mm3 APLI.
CLINICA: INVESTIGAÇÃO DOS DISTÚRBIOS DE COAGULAÇÃO E CONTROLE DE ANTICOAGULANTE (MAREVAN).
E UMA PROVA DE FUNÇÃO HEPÁTICA, ESTANDO RELACIONADO CAPACIDADE DE SÍNTESE PROTEICA DO FÍGADO.
INVESTIGAÇÃO PRÉ-OPERATÓRIA.


COAGUSUS - COAGULOGRAMA COMPLETO SUS

PRAZO: 3.00


COBRE - COBRE SERICO

PRAZO: 5.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: COLORIMETRIA PREPARO: JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: 2,0 mL CONSERVAÇÃO: DE 2 A 8 ° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃÓ: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

COBRE24 - COBRE URINA 24HS

PRAZO: 5.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: COLORIMETRIA PREPARO: JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: 2,OmL CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO DE 2 A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃÓ: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

COBURE - COBRE URINA ALEATORIA

PRAZO: 10.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO ATÔMICA COM FORNO DE GRAFITE PREPARO : COLETAR URINA FINAL DE JORNADA DE TRABALHO.
MATERIAL : URINA RECEPIENTE : FRASCO URINA VOLUME : VOLUME COLHIDO CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


COFRA - COLESTEROL TOTAL E FRACOES

PRAZO: 3.00
SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
BIOQUÍMICA METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLORIMETRICO ENZIMÁTICO PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
JEJUM OBRIGATÓRIO IGUAL OU SUPERIOR A 9 HORAS COM PRAZO MÁXIMO DE 16 HORAS OU CONORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
ATENÇÃO: PARA PEDIDOS QUE POSSUEM TAMBÉM SOLICITAÇÃO DE GLICEMIA, O JEJUM MÁXIMO DEVERÁ SER DE 14 HORAS.
NÃO COSUMIR BEBIDA ALCOOLICA NO PERÍODO DE 72 HORAS QUE ANTECEDE O EXAME.
MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SORO RECIPIENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
2,0 mL CONSERVAÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
ATÉ 3 DIAS REFRIGERADO ENTRE 2o E 8o C.
REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
JEJUM E COLETA INADEQUADA ASSIM COMO O TRANSPORTE, AMOSTRA COLHIDA EM ANTICOAGULANTE, HEMÓLISE INTENSA, ICTÉRICIA.
TRANSPORTE.
.
.
.
.
.
.
.
.
REFRIGERADO APLICAÇÃO CLÍNICA : O COLESTEROL CIRCULANTE NOS SERES HUMANOS ENCONTRA-SE DISTRIBUÍDO ENTRE AS TRÊS CLASSES DE LIPOPROTEINAS: AS LIPOPROTEÍNAS DE BAIXA DENSIDADE (LDL) AS LIPOPROTEÍNAS DE DENSIDADE MUITO BAIXA (VLDL), E AS LIPOPROTEÍNAS DE ALTA DENSIDADE (HDL).
A DOSAGEM DE COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES É USADA EM CONJUNTO COM OUTROS DADOS CLÍNICOS E LABORATORIAIS PARA ESTIMAR O RISCO DE DOENÇA CORONARIANA.
VALORES AUMENTADOS DE LDL ESTÃO RELACIONADOS A MAIOR RISCO DE DOENÇA CORONARIANA.
VALORES AUMENTADOS DE HDL SÃO INDICATIVOS DE MENOR RISCO.


COL - COLESTEROL TOTAL

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: ENZIMÁTICO PREPARO: JEJUM DESEJAVEL DE 4 HORAS, COM PRAZO MÁXIMO DE 16 HORAS, OU CONFORME ORIENTAÇÃO MEDICA.
ATENÇÃO: PARA PEDIDOS QUE POSSUEM TAMBÉM SOLICITAÇÃO DE GLICEMIA, O JEJUM MÁXIMO DEVERÁ SER DE 14 HORAS.
NÃO COSUMIR BEBIDA ALCOOLICA NO PERÍODO DE 72 HORAS QUE ANTECEDE O EXAME.
MATERIAL: SANGUE ( SORO) RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME: MÍNIMO 2,0 mL CONSERVAÇÃO: .
ATÉ 3 DIAS REFRIGERADO ENTRE 2o e 8o C.
.
TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEICÃO: JEJUM E COLETA INADEQUADA ASSIM COMO O TRANSPORTE, AMOSTRA COLHIDA EM ANTICOAGULANTE, HEMÓLISE INTENSA, ICTÉRICIA.
APLICAÇÃO CLÍNICA : A DETERMINAÇÃO DO COLESTEROL EM AMOSTRAS DE SANGUE É ÚTIL NA INVESTIGAÇÃO DAS DISLIPIDEMIAS E FAZ PARTE DA AVALIAÇÃO DO RISCO DE DOENÇA CORONARIANA ISQUÊMICA.
VALORES AUMENTADOS DE COLESTEROL SÃO ENCONTRADOS NA NEFROSE, HIPOTIREOIDISMO, DOENÇA COLESTÁTICA.


COLTF - COLESTEROL TOTAL, FRACOES,TRIGLICERIDES

PRAZO: 3.00
SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
BIOQUÍMICA METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLORIMETRICO ENZIMÁTICO PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
JEJUM OBRIGATÓRIO IGUAL OU SUPERIOR A 9 HORAS COM PRAZO MÁXIMO DE 16 HORAS OU CONORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
ATENÇÃO: PARA PEDIDOS QUE POSSUEM TAMBÉM SOLICITAÇÃO DE GLICEMIA, O JEJUM MÁXIMO DEVERÁ SER DE 14 HORAS.
NÃO COSUMIR BEBIDA ALCOOLICA NO PERÍODO DE 72 HORAS QUE ANTECEDE O EXAME.
MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SORO RECIPIENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
2,0 mL CONSERVAÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
ATÉ 3 DIAS REFRIGERADO ENTRE 2o E 8o C.
REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
AMOSTRA COLHIDA EM ANTICOAGULANTE, HEMÓLISE INTENSA, ICTÉRICIA.
APLICAÇÃO CLÍNICA : O COLESTEROL CIRCULANTE NOS SERES HUMANOS ENCONTRA-SE DISTRIBUÍDO ENTRE AS TRÊS CLASSES DE LIPOPROTEINAS: AS LIPOPROTEÍNAS DE BAIXA DENSIDADE (LDL) AS LIPOPROTEÍNAS DE DENSIDADE MUITO BAIXA (VLDL), E AS LIPOPROTEÍNAS DE ALTA DENSIDADE (HDL).
A DOSAGEM DE COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES É USADA EM CONJUNTO COM OUTROS DADOS CLÍNICOS E LABORATORIAIS PARA ESTIMAR O RISCO DE DOENÇA CORONARIANA.
VALORES AUMENTADOS DE LDL ESTÃO RELACIONADOS A MAIOR RISCO DE DOENÇA CORONARIANA.
VALORES AUMENTADOS DE HDL SÃO INDICATIVOS DE MENOR RISCO.
OS TRIGLICÉRIDES SÃO PRODUZIDOS NO FÍGADO UTILIZANDO GLICEROL E OUTROS ÁCIDOS GRAXOS.
SÃO TRANSPORTADOS NO SANGUE POR VLDL E LDL.
OS TRIGLICÉRIDES EM CONJUNTO COM COLESTEROL SÃO ÚTEIS NA AVALIAÇÃO DO RISCO CARDÍACO.
NÍVEIS ELEVADOSS SÃO ENCONTRADOS NA SÍNDROME NEFRÓTICA, NA INGESTÃO ELEVADA DE ÁLCCOL, INDUZIDO POR DROGAS (ESTROGENIOS, CONTRACEPTIVOS ORAIS, PREDNISONA, ETC) NO HIPOTIREIODISMO, DIABETES E GRAVIDEZ.
OS NÍVEIS BAIXOS ESTÃO RELACIONADOS A MA ABSORÇÃO, MA NUTRIÇÃO E HIPERTIREOIDISMO.


CONTCEL - CONTAGEM DE CELULAS

PRAZO: 0.00


COOMD - COOMBS DIRETO

PRAZO: 3.00
METODO: REAÇÃO DE AGLUTINACAO EM TUBO PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL : SANGUE (TOTAL).
RECIPIENTE: TUBO COM EDTA (TAMPA ROXA).
VOLUME : 1 mL INTERF.
: HEMOLISE, COAGULO, MATERIAL INSUFICIENTE CONSERV.
: ATE 24 HORAS EM TEMP.
AMBIENTE ATE 72 HORAS REFRIGERADO TRANSPORTE: TEMP.
AMBIENTE REJEIÇÃO : HEMOLISE VALOR DE REF.
: NEGATIVO APLIC.
CLINICA: O TESTE DE COOMBS DIRETO E UTILIZADO NA INVESTIGACAO DAS ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES, POR ISOIMUNIZACAO MATERNO-FETAL OU POS TRANSFUSIONAL.
REACOES FALSO-POSITIVAS PODEM OCORRER COM O USO DE PENICILINAS, CEFALOSPORINAS, SULFONAMIDAS, TETRACICLINA, METILDOPA E INSULINA.


COOMI - COOMBS INDIRETO

PRAZO: 3.00
SETOR : HEMATOLOGIA.
FEITO DIÁRIO SINONÍMIA : COOMBS QUANTITATIVO, ANTI Rh, ANTICORPOS NATURAIS IMUNES MÉTODO : TESTE EM GEL (AGLUTINAÇÃO) PREPARO : JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO MATERIAL : SORO RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1 mL INTERF.
: HEMÓLISE, MATERIAL INSUFICIENTE CONSERV.
: ATÉ 3 DIAS REFRIGERADO.
TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO : HEMÓLISE VALOR DE REF.
: NEGATIVO APLIC.
CLINICA: A PESQUISA DE ANTICORPOS IRREGULARES OU COOMBS INDIRETO DETECTAM IMUNOGLOBULINAS IgG OU FRAÇÕES DO COMPLEMENTO LIGADAS AS HEMÁCIAS, O QUE PODE OCORRER EM SITUAÇÕES PATOLÓGICAS LEVANDO PRINCIPALMENTE A HEMÓLISE.
ESTE TESTE FAZ PARTE DA ROTINA DE EXAMES NO PRÉ-NATAL DE GESTANTES Rh NEGATIVO, TRIAGEM DE ANEMIAS HEMOLÍTICAS E PROVAS PRE- TRANSFUSIONAIS.
REAÇÕES FALSO-POSITIVAS PODEM DECORRER DA PRESENÇA DE CRIOAGLUTININAS.


COPRO - COPROCULTURA - FEZES

PRAZO: 7.00
SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
BACTERIOLOGIA.
FEITO DIÁRIO ( 5 DIAS ) SINONIMIA:.
.
.
.
.
.
.
.
CULTURA DE FEZES,COP MÉTODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SEMEADURA EM MEIO DE CULTURA ESPECÍFICO PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
FEZES RECÉM EXCRETADAS ANTES DA ADMINISTRAÇÃO DE ANTIMICROBIANOS.
COLETA:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLHER PORÇÃO "IN NATURA" E OBSERVAR SE HÁ MUCO, PÚS OU SANGUE.
COLOCAR DE 1 A 2 GRAMAS, PREFERENCIALMENTE COM MUCO, PÚS OU SANGUE, NO MEIO DE TRANSPORTE CARY-BLAIR.
OBSERVAÇÃO: A POSITIVIDADE DAS COPROCULTURAS É MAIOR QUANDO A AMOSTRA É COLHIDA NOS PRIMEIROS DIAS DAS DOENÇA.
RECIPIENTE:.
.
.
.
.
.
FRASCO FORNECIDO PELO LABORATÓRIO VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
RECOMENDÁVEL 2 GRAMAS CONSERVAÇÃO:.
.
ATÉ 2H "In natura" EM TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE:.
.
.
.
TEMP.
AMBIENTE (USO EXCLUSIVO DO SETOR TÉCNICO)

APLICAÇÕES CLÍNICAS:A CULTURA DE FEZES IDENTIFICA MICROORGANISMOS ENTEROPATOGÊNICOS EM CASOS DE DIARRÉIA AGUDA OU CRÔNICA.
SÃO CONSIDERADAS INDICAÇÕES DE COPROCULTURA DIARRÉIA SANGUINOLENTA, FEBRE, TENESMO, SINTOMAS SEVEROS E PERSISTENTES, PRESENÇA DE LEUCÓCITOS FECAIS E HISTÓRIA DE EXPOSIÇÃO A AGENTES BACTERIANOS.



COPROPOF - COPROPORFIRINAS DOSAGEM URINA DE 24HS

PRAZO: 25.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: CROMATOGRAFIA LIQUIDA DE ALTA RESOLUCAO - HPLC PREPARO: - Colher após 15 dias de exposição.
- Não fazer esforço físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob orientação médica.
- Utilizar o Bicarbonato de Sodio 5 g/L de urina como conservante e refrigerar a amostra, desde o início da coleta.
- Utilizar frasco âmbar para coleta do material para proteger da luz.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO DE 2 A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

COR16 - CORTISOL 16 HORAS

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 14/06/2010 ANARA *** NOME DO EXAME: CORTISOL (COLETA ÀS 16 HORAS) SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
LSM.
FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 2 DIAS) METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ELETROQUIMIOLUMINESCENCIA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLHER EXATAMENTE ÀS 16 HORAS.
ORIENTAR O CLIENTE A CHEGAR 15 MINUTOS ANTES DA COLETA MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SANGUE (SORO) RECIPENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MINIMO 1,0 mL CONSERVAÇÃO:.
.
.
REFRIGERADO: 7 DIAS E CONGELADO: 3 MESES TRANSPORTE:.
.
.
.
.
REFRIGERADO

COR19 - CORTISOL 19 HORAS

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 14/06/2010 ANARA *** NOME DO EXAME: CORTISOL (COLETA ÀS 19 HORAS) SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
LSM.
FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 2 DIAS) METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ELETROQUIMIOLUMINESCENCIA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLHER EXATAMENTE ÀS 19 HORAS.
ORIENTAR O CLIENTE A CHEGAR 15 MINUTOS ANTES DA COLETA MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SANGUE (SORO) RECIPENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MINIMO 1,0 mL CONSERVAÇÃO:.
.
.
REFRIGERADO: 7 DIAS E CONGELADO: 3 MESES TRANSPORTE:.
.
.
.
.
REFRIGERADO

CORIST - COFATOR RISTOCETINA / FATOR V. WILLEBRAND

PRAZO: 4.00


CORPOS - CORPOS REDUTORES PESQUISA - FEZES

PRAZO: 7.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: COLORIMÉTRICO PREPARO: DEFECAR EM RECIPIENTE LIMPO E SECO, SE CRIANÇA COLOCAR O COLETOR DE URINA PARA EVITAR CONTAMINAÇÃO MATERIAL: FEZES RECIPIENTE: FRASCO ESTERIL VOLUME: APROXIMADAMENTE 1/2 FRASCO CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO DE 2 A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CORPROP - COPROPORFIRINAS PESQUISA DE URINA 24HS

PRAZO: 25.00
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: CROMATOGRAFIA LIQUIDA DE ALTA RESOLUCAO - HPLC PREPARO: - Colher após 15 dias de exposição.
- Não fazer esforço físico durante a coleta.
- O cliente deve manter sua rotina diária.
- Não é necessário aumentar a ingestão de líquidos, exceto sob orientação médica.
- Utilizar o Bicarbonato de Sodio 5 g/L de urina como conservante e refrigerar a amostra, desde o início da coleta.
- Utilizar frasco âmbar para coleta do material para proteger da luz.
CONSERVAÇÃO: REFRIGERADO DE 2 A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CORT - CORTISOL APOS CORTROSINA - ACTH

PRAZO: 7.00
COLHER APÓS O ESTIMULO DE CORTROSINA O CORTISOL BASAL, 30 MIN, 60 MIN E 90 MIN.
SETOR: TERCERIZADO MÉTODO: QUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO: JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: 2,0 mL CONSERVAÇÃO: SOB REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃÓ: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CORT14H - CORTISOL 14 HORAS

PRAZO: 7.00


CORT17 - CORTISOL 17 HORAS

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 25/09/2010 FABRÍCIO MIRANDA *** NOME DO EXAME: CORTISOL (COLETA ÀS 17 HORAS) SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
LSM.
FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 2 DIAS) METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ELETROQUIMIOLUMINESCENCIA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLHER EXATAMENTE ÀS 17 HORAS.
ORIENTAR O CLIENTE A CHEGAR 15 MINUTOS ANTES DA COLETA MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SANGUE (SORO) RECIPENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MINIMO 1,0 mL CONSERVAÇÃO:.
.
.
REFRIGERADO: 7 DIAS E CONGELADO: 3 MESES TRANSPORTE:.
.
.
.
.
REFRIGERADO

CORT30 - CORTISOL 30

PRAZO: 5.00


CORT60 - CORTISOL 60

PRAZO: 5.00


CORT8 - CORTISOL BASAL (ENTRE 7 E 10H)

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : QUIMIOLUMINESCÊNCIO PREPARO : MANHÃ: COLHER ENTRE 7 E 8:30 HORAS.
TARDE: ENTRE 16 E 16:30 HORAS.
JEJUM DE 8 HORAS.
MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : SOB REFRIGERAÇÃO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : COLETA FORA DAS ESPECIFICAÇÕES.


CORT9 - CORTISOL POS DEXAMETASONA

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 14/06/2010 ANARA *** NOME DO EXAME: CORTISOL - SUPRESSAO COM DEXAMETASONA SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
LSM.
FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 2 DIAS) SINONIMIA:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
PROVA DE SUPRESSÃO DO CORTISOL METODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ELETROQUIMIOLUMINESCENCIA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
O PACIENTE DEVE TOMAR COMPRIMIDO DE DEXAMETASONA (PRESCRIÇÃO MÉDICA) AS 23 HORAS DO DIA ANTERIOR AO EXAME.
COLHER ENTRE 7 E 8 HORAS COM TOLERANCIA DE 30 MINUTOS.
JEJUM OBRIGATORIO DE 8 HORAS.
MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
SANGUE (SORO) RECIPENTE:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
TUBO COM GEL VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MINIMO 1,0 mL INTERFERENTES:.
.
.
DOSE E/OU H DA TOMADA DO MEDICAMENTO INCORRETOS CONSERVAÇÃO:.
.
.
.
.
.
REFRIGERADO: 7 DIAS E CONGELADO: 3 MESES TRANSPORTE:.
.
.
.
.
.
.
.
REFRIGERADO REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
DOSE E/OU H DA TOMADA DO MEDICAMENTO INCORRETOS OBSERVAÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLHER NA MANHÃ SEGUINTE APÓS SUPRESSÃO COM DEXAMETASONA.


CORT90 - CORTISOL 90

PRAZO: 5.00


CORTCURV - CORTISOL CURVA

PRAZO: 5.00


CORTL1 - CORTISOL POS 4 MG DEXAMETASONA - LIDDLE 1

PRAZO: 5.00
SETOR: TERECERIZADO MÉTODO: QUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO: - Administrar um comprimido de 0,5 mg de dexametasona de 6 em 6 horas durante 48 horas (total 8 comprimidos).
A primeira dose deve ser as 12 horas (meio dia) do primeiro dia e a ultima as 6 horas da manha do terceiro dia.
Colher amostra para cortisol as 8 horas da manha do terceiro dia.
OBS.
: Caso especificado no pedido medico, pode-se optar pela coleta, no segundo dia, na urina de 24 horas, do cortisol livre urinario ou do 17 hidroxicorticosteroides.
Dose pediatrica para o teste de supressao: 30 mcg/kg/dia* * dose fracionadas em quatro vezes ao dia.


CORTSAL - CORTISOL SALIVAR

PRAZO: 12.00
***ATUALIZADO EM 20/10/2009 CAROLLINA E.
MAIA**** NOME DO EXAME: CORTISOL SALIVAR VOLUME: 1,0 mL RECIPIENTE: TUBO SALIVETTE ESTABILIDADE: ATÉ 48 HORAS REFRIGERADO COLETA DO MATERIAL Horario de coleta do cortisol salivar: 8:00 horas ou 23:00 horas ou conforme orientacao medica.
Atencao: Solicitar tubo Salivette.
O material somente sera aceito se colhido no tubo Salivette.
1.
Por um periodo de 30 minutos antes da coleta nao sera permitido qualquer tipo de alimentacao ou bebida (com excecao de agua).
2.
Permanecer em repouso por uma hora antes da coleta.
3.
Imediatamente antes da coleta e aconselhavel lavar a boca com agua atraves de bochechos leves.
4.
A coleta nao e recomendavel em caso de lesoes orais com sangramento ativo ou potencial.
5.
Evitar escovar os dentes pelo menos duas horas antes da coleta para evitar sangramento gengival.
6.
Remova a tampa superior do tubo.
7.
Coloque o algodao, presente no recipiente suspenso, debaixo da lingua e aguarde um periodo medio de 2 a 3 minutos de forma a encharcar o algodao.
Se preferir, pode mastigar levemente o algodao, mantendo-o o maximo possivel embebido com saliva.
Durante esse periodo de coleta nao e permitido ingestao de agua, alimento ou qualquer tipo de liquido.
8.
A amostra em quantidade satisfatoria deve encharcar o algodao com saliva.
9.
Retorne o algodao para o interior do recipiente suspenso, fechando com a tampa logo a seguir.
10.
O tubo pode ser encaminhado imediatamente ao laboratorio sem refrigeracao.
No entanto, em casos onde o transporte nao sera efetuado imediatamente, aconselha-se a refrigeracao da amostra entre 2 a 8o C.
A amostra refrigerada podera ser recebido no laboratorio com ate 48 horas da coleta.
CONSERVAÇÃO PARA ENVIO - Apos a coleta manter o Salivette com algodao sob refrigeracao por ate 48 horas.
- Apos esse periodo centrifugar o tubo de Salivette com o algodao.
- Apos a centrifugacao retirar o algodao e congelar a saliva obtida a - 20o C.


CORTU - CORTISOL LIVRE URINARIO 24H

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : QUIMIOLUMINESCÊNCIO MATERIAL : URINA 24 HORAS RECEPIENTE : GALÃO PARA COLETA SEM CONSERVANTE VOLUME : TODA A URINA CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CORY - CORYNEBACTERIUM DIPHTHERIAE DIFTERIA

PRAZO: 10.00


CORYMP - CORYNEBACTERIUM MINUTISSIMUM PESQUISA

PRAZO: 7.00


CPA - CELULA PARIETAL - ANTICORPOS ANTI

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ELIZA PREPARO : MATERIAL : SANGUE TORAL COM EDTA RECEPIENTE : TUBO SORO VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : TEMPERATURA AMBIENTE TRANSPORTE : TEMPERATURA AMBIENTE REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CPK - CPK - CREATINOFOSFOQUINASE TOTAL

PRAZO: 3.00
SETOR:.
BIOQUIMICA METODO:.
ENZIMÁTICO - CREATINO QUINASE PREPARO:.
JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO.
EVITAR EXERCÍCIOS FISICOS 24 HORAS ANTES DA COLETA.
O PACIENTE DEVERÁ PERMANECER EM REPOUSO NO MINIMO 30 MINUTOS ANTES DA COLETA.
SUSPENDER MEDICAMENTOS A BASE DE ANFOTERICINA B, CAPTROPIL E PROPANOLOL SE A PEDIDO MÉDICO.
MATERIAL:.
SORO RECIPIENTE:.
TUBO COM GEL TRANSPORTE:.
REFRIGERADO.
REJEIÇÃO:.
HEMOLISE APLICAÇÃO CLÍNICA : A CRETINOFOSFOQUINASE (CPK) É A ENZIMA RESPONSÁVEL PELA TRANSFERÊNCIOA DE FOSFATO INORGÂNICO DA CRETINA-FOSFATO PARA ADP, FORMANDO CRETINA E ATP.
ESTÁ PRESENTE PRINCIPALMENTE ME MÚSCULO ESTRIADO, CÉREBRO E MÚSCULO CARDÍACO.
OUTRO TECIDOS APRESNTAM NÍVEIS DE ATIVIDADE DE CPK MUITO INFERIORES (P.
EX.
TECIDO RENAL).
A DETERMINAÇAO DA CPK EM AMOSTRAS DE SANGUE É ÚTIL NA ABORDAGEM LABORATORIAL DO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO E DE DOENÇAS MUSCULARES ESQUELÉTICAS.
APESAR DE SER UM MARCADOR RELATIVAMENTE SENSÍVEL PARA INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO, A CPK É POUCO ESPECÍFICA.
PODE ESTAR AUMENTADA APÓS EXERCÍCIOS FÍSICOS E APLICAÇÃO DE INJEÇÃO INTRAMUSCULAR.


CREA24 - CREATININA URINA 24 HORAS

PRAZO: 3.00
COLHER UMA AMOSTRA DE SORO NO DIA QUE O CLIENTE ENTREGAR A AMOSTRA, REGISTRAR PESO.
SETOR : BIOQUIMICA SINONIMIA: DEPURAÇÃO DE CREATININA METODO : CINÉTICA AUTOMATIZADA PREPARO : DESPREZAR PRIMEIRA URINA DA MANHA, MARCAR O HORARIO E A PARTIR DAI COLHER TODAS AS URINAS POR UM PERIODO DE 24 HORAS.
MARCAR O HORARIO INICIAL E HORARIO FINAL.
MATERIAL : URINA DE 24 HORAS REFRIGERADA RECIPIENTE : FRASCO DE POLIETILENO SEM CONSERVANTE.
NÃO PODE USAR CONSERVANTE VOLUME : ANOTAR VOLUME FINAL CONSERV.
: REFRIGERADO TRANSPORTE: REFRIGERADO OBSERVAÇÃO : ANOTAR PESO E ALTURA DO PACIENTE.
VALOR DE REFERENCIA: HOMEM: 21 A 26 mg/Kg/dia MULHER: 16 A 22 mg/Kg/dia APLIC.
CLINICA: É O PRODUTO DE DEGRADAÇÃO DA CREATINA, SENDO SUA CONCENTRAÇÃO SÉRICA NÃO SO DEPENDENTE DA TAXA DE FILTRAÇÃO RENAL, MAS TAMBÉM DA MASSA MUSCULAR, IDADE, SEXO, ALIMENTAÇÃO, CONCENTRAÇÃO DE GLICOSE, PIRUVATO, ACIDO URICO, PROTEINA, BILIRRUBINA E DO USO DE MEDICAMENTOS (CEFALOSPORINAS, SALICILATO, TRIMETOPRIM, CIMETIDINA, HIDANTOINA, ANTICONCEPCIONAIS E ANTI-INFLAMATORIOS).
NIVEIS BAIXOS PODEM SER ENCONTRADOS NOS ESTADOS QUE CURSAM COM DIMINUIÇÃO DA MASSA MUSCULAR.


CREAT - CREATININA

PRAZO: 3.00
SETOR:.
BIOQUIMICA MÉTODO:CINÉTICA COLORIMÉTRICO PREPARO: JEJUM DESEJÁVEL DE 4 HORAS, OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
MATERIAL: SORO RECIPIENTE:TUBO COM GEL VOLUME: MÍNIMO 2 mL CONSERVAÇÃO: ATÉ 5 DIAS REFRIGERADO ENTRE 2o E 8o C.
TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: HEMÓLISE INTENSA OU PRESENÇA DE TURVAÇÃO.
APLICAÇÃO CLÍNICA : A ELIMINAÇÃO DA CREATININA DO SORO É UMA FUNÇÃO DA MASSA CORPÓREA NAS PESSOAS NORMAIS E ESTÁ POUCO OU NADA RELACIONADA COM AS ALTERAÇÕES DE DIETAS.
A CREATININA AUMENTA NAS INSUFICIENCIAS RENAIS CRONICAS OU AGUDAS, OBSTRUÇÃO DO TRATO URINÁRIO, REDUÇÃO DO FLUXO DE SANGUE RENAL, CHOQUE, DESIDRATAÇÃO E RABDOMIÓLISE.
AS CAUSAS DE BAIXA CONCENTRAÇÃO DE CREATININA NO SORO INCLUEM A DEBILITAÇÃO E DIMINUIÇÃO DA MASSA MUSCULAR.


CREAT12H - CREATININA URINA 12 HORAS

PRAZO: 3.00
SETOR : BIOQUIMICA METODO : CINÉTICO (Jaffé Modificado) PREPARO : MATERIAL : URINA 12HS RECEPIENTE : FRASCO VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CREAU - CREATININA URINA ALEATORIA

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: FAUST PREPARO: EVITAR COLHER AMOSTRA NO PERÍODO MENSTRUAL.
MANTER HIDRATAÇÃO USUAL.
MATERIAL: URINA RECENTE (JATO MÉDIO, PRIMEIRA URINA DA MANHÃ) OU COM INTERVALO MÍNIMO DE 4 HORAS SEM URINAR.
RECIPIENTE: FRASCO DE URINA ESTERIL FORNECIDO PELO LABORATÓRIO OU COMPRADO EM DROGARIAS.
VOLUME: MÍNIMO 5 mL CONSERVAÇÃO : ATÉ 5 DIAS REFRIGERADO ENTRE 2o E 8o C REJEIÇÃO: URINA ACIDIFICADA, TEMPO DE ENTREGA NO LABORATÓRIO SUPERIOR A 2 HORAS.
TRANSPORTE: REFRIGERADO 2o E 8o C.
APLICAÇÃO CLÍNICA: AVALIAÇÃO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR, MAIS SENSIVEL QUE A DETERMINACAO DA CREATININA SERICA ISOLADA.
É O PRODUTO DE DEGRADAÇÃO DA CREATINA, SENDO SUA CONCENTRAÇÃO SÉRICA NÃO SÓ DEPENDENTE DA TAXA DE FILTRAÇÃO RENAL, MAS TAMBEM DA MASSA MUSCULAR, IDADE, SEXO, ALIMENTACAO, CONCENTRACAO DE GLICOSE, PIRUVATO, ÁCIDO ÚRICO, PROTEINA, BILIRRUBINA E DO USO DE MEDICAMENTOS (CEFALOSPORINAS, SALICILATO, TRIMETOPRIM, CIMETIDINA, HIDANTOINA, ANTICONCEPCIONAIS E ANTI-INFLAMATORIOS).
NIVEIS BAIXOS PODEM SER ENCONTRADOS NOS ESTADOS QUE CURSAM COM DIMINUIÇÃO DA MASSA MUSCULAR.


CREURI6H - CREATININA URINA 6 HORAS

PRAZO: 3.00


CRIOA - CRIOAGLUTININAS, DOSAGEM

PRAZO: 5.00
* NÃO CONFUNDIR COM CRIOGLOBULINA * * NUNCA REFRIGERAR A AMOSTRA * SETOR : TERCERIZADO MÉTODO : AGLUTINAÇÃO PREPARO : * JEJUM DE 8 HORAS * INTERVALO ENTRE AS MAMADAS PARA LACTENTES MATERIAL : 1 TUBO DE SANGUE (SORO) NO GEL E UM TUBO EM EDTA RECIPIENTE: 1 TUBO COM GEL E 1 EDTA COLETA : SORO - A SERINGA OU TUBO DE VACUTAINER DEVE SER AQUECIDO ANTES DA COLETA.
- O SANGUE DEVE SER DEIXADO A 37ºC DURANTE O PROCESSO DE COAGULAÇÃO (20 MINUTOS).
- CENTRIFUGAR POR 10 MINUTOS A 2000 R.
P.
M.
- O SORO NÃO PODE SER ARMAZENADO COM O COÁGULO (CENTRIFUGAR E SEPARAR) NÃO PRECISA LEVAR O TUBO COM EDTA EM BANHO-MARIA.
- ENVIAR ATÉ 24 HORAS EM TEMPERATURA AMBIENTE - ESSA AMOSTRA NÃO DEVE, EM HIPÓTESE NENHUMA, SER COLOCADA NA GELADEIRA.
VOLUME : 2,0 mL INTERF.
: BAIXA TEMPERATURA CONSERV.
: ENVIAR ATÉ 24 H EM TEMPERATURA AMBIENTE (15º-25º C).
TRANSPORTE: TEMP.
AMBIENTE REJEIÇÃO : MATERIAL REFRIGERADO OU CONGELADO.


CRIOD - CRIOGLOBULINAS, PESQUISA

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : PRECIPITAÇÃO PREPARO : JEJUM DE 4 HORAS MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :3 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO 24-72h TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA COLHIDA COM GEL SEPARADOR.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CRIPTO - CRIPTOSPORIDIUM PESQUISA - FEZES

PRAZO: 3.00
SETOR : PARASITOLOGIA METODO : Ziehl Neelsen PREPARO : MATERIAL : FEZES RECEPIENTE : FRASCO VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CRO - CROMO

PRAZO: 4.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : ESPECTROFOTOMETRIA DE ABSORÇÃO ATÔMICA COM FORNO DE GRAFITE PREPARO : JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CROMAOLI - CROMATOGRAFIA DE OLIGOSSACARIDIOS URINA

PRAZO: 50.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : CROMATOGRAFIA PREPARO : HIGIENIZAÇÃO LOCAL MATERIAL : URINA RECEPIENTE : FRASCO ESTERIL VOLUME : 50 ml CONSEVAÇÃO : CONGELAR TRANSPORTE : CONGELAR REJEIÇÃO : CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CROMUR - CROMO - URINA ALEATORIA

PRAZO: 14.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
SINONIMIA: CROMO HEXAVALENTE/ Cr METODO : ABSORÇÃO ATÔMICA (FORNO DE GRAFITE) PREPARO : COLHER FORA DO LOCAL DE TRABALHO, RETIRAR O UNIFORME, LAVAR MÃOS E A GENITÁLIA ANTES DE FAZER A COLETA.
COLHER AMOSTRA DE 24 HORAS MATERIAL :URINA ALEATÓRIA RECIPIENTE : FRASCO DE POLIETILENO SEM CONSERVANTE.
VOLUME : AMOSTRA RECENTE (MÍNIMO 20 mL) CONSERV.
: REFRIGERADO: 5 DIAS TRANSPORTE: REFRIGERADO

CROU24 - CROMO URINA 24HS

PRAZO: 10.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : Absorção Atômica -Forno de Grafite/Corretor Zeeman PREPARO : MATERIAL : URINA 24 HORAS RECEPIENTE : FRASCO VOLUME :TODO VOLUME CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CRYP - CRYPTOSPORIDIUM, PESQUISA

PRAZO: 7.00
*** ATUALIZADO EM 03/05/2010 FABIOLA LIMEIRA *** NOME DO EXAME: PESQUISA DE CRIPTOSPORIDIUM SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
PARASITOLOGIA.
FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 1 DIA ) SINONIMIA:.
.
.
.
.
.
.
.
CRIPTOSPORIDIO, COCCIDEO MÉTODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
COLORAÇÃO DE ZIEHL- NIELSEN MODIFICADO PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
NÃO SE APLICA MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
FEZES FRESCAS OU EM SOLUÇÃO SALINA FORMOLIZADA (10% DE FORMOL) RECIPIENTE:.
.
.
.
.
.
.
FRASCO FORNECIDO PELO LABORATÓRIO VOLUME:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
1/3 DO FRASCO DE COLETA DE FEZES - FRASCO PRÓPRIO CONSERVAÇÃO:.
REFRIGERADO ATÉ 48 HORAS TRANSPORTE:.
.
.
.
REFRIGERADO REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
FRASCO INADEQUADO, FEZES EM CONSERVANTE MIF FEZES VELHAS E AMOSTRA COLHIDA A MAIS DE 48 HORAS.
INSTRUÇÕES:.
.
.
.
.
A PERMANÊNCIA DOS OOCISTOS NAS FEZES É DESCONTÍNUA E CORRESPONDE AO PERÍODO DE DIARRÉIA, PORTANTO A COLETA DEVE SER FEITA APENAS NA VIGÊNCIA DE DIARRÉIA.
OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
IDEALMENTE AS FEZES DEVERÃO SER COLETADAS A CADA 3 DIAS E NO MÍNIMO 3 AMOSTRAS OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
(USO EXCLUSIVO DO SETOR TÉCNICO)

APLICAÇÕES CLÍNICAS: INFECÇÃO POR CRIPTOSPORIDIUM EM HUMANOS É CAUSA DE DIARRÉIA EM IMUNOCOMPETENTES E IMUNODEPRIMIDOS.
ENTRETANTO, A INFECÇÃO É MAIS SEVERA E CRÔNICA NAQUELES COM DEFESAS BAIXAS.
PODE AINDA, SER UM DOS CAUSADORES DE COLANGIOPATIA EM PACIENTES COM SIDA, QUE MANIFESTA-SE COM FEBRE, DOR NO HIPOCÔNDRIO DIREITO E COLESTASE.



CRYPC - CRYPTOCOCCUS NEOFORMANS - PESQUISA

PRAZO: 7.00
ATUALIZADO EM 30/07/2010 FABIOLA LIMEIRA NOME DO EXAME: CRYPTOCOCCUS NEOFORMANS - AGLUTINAÇAO SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
BACTERIOLOGIA/URINÁLISE FEITO DIÁRIO ( 3 DIAS ) SINONIMIA:.
.
.
.
.
.
.
.
PESQUISA DE CRYPTOCOCCUS NEOFORMANS, TORULOSE, CRIPTOCOCOSE, LÁTEX PARA CRYPTOCOCCUS MÉTODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
AGLUTINAÇÄO DIRETA PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
1,0 mL DE LIQUOR (COLHIDO PELO MÉDICO) TRANSPORTE:.
.
.
.
REFRIGERADO (ENTRE 2 - 8ºC) REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
MATERIAL NÄO IDENTIFICADO OBSERVAÇÃO:.
.
.
.
ENVIAR O MATERIAL NO MESMO DIA DA COLETA VALOR DE REF.
.
.
.
NEGATIVO (USO EXCLUSIVO DO SETOR TÉCNICO)

APLICAÇÕES CLÍNICAS: ÚTIL NO DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO DA INFECÇÄO CRIPTOCOCICA.
ALTOS TITULOS CORRELACIONAM-SE COM GRAVIDADE E A DIMINUIÇÄO DOS TITULOS TEM RELAÇÃO COM BOM PROGNÓSTICO.
REAÇÕES FALSO-POSITIVAS PODEM OCORRER NA PRESENÇA DO FATOR REUMATÓIDE, DOENÇAS CAUSADAS POR TRICHOSPORON BEIGELLI E BACILOS GRAM NEGATIVOS.



CSE - COLINESTERASE PLASMATICA

PRAZO: 5.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
SINONÍMIA : ACETILCOLINESTERASE.
MÉTODO : ENSAIO COLORIMETRICO PREPARO : JEJUM DE 4 HORAS MATERIAL : SANGUE (SORO).
RECIPIENTE: TUBO COM GEL VOLUME : 1,0 mL.
CONSERV.
: ATE 7 DIAS REFRIGERADO DE 2 A 8°.
TRANSPORTE: REFRIGERADO.
REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADO

CT - CALCITONINA

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO : QUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO : MATERIAL : SORO RECEPIENTE : TUBO SORO GEL VOLUME :2 ml CONSEVAÇÃO : CONGELADO TRANSPORTE : CONGELADO REJEIÇÃO : - CONTAMINAÇÃO MICROBIANA.
- AMOSTRA REPETIDAMENTE CONGELADA E DESCONGELADA.
- AMOSTRA SUBEMTIDA A TEMPERATURA ELEVADA.


CTA - CHLAMYDIA TRACHOMATIS IGA - ANTICORPOS ANTI

PRAZO: 15.00
SETOR : TERCEIRIZADO.
PREPARO: JEJUM 8 HORAS MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO COM GEL VOLUME : 1 mL DE SORO INTERF.
: HEMOLISE CONSERV.
: REFRIGERADO: ATÉ 5 DIAS TRANSPORTE: REFRIGERADO.
REJEIÇÃO: HEMOLISE.


CTG75 - CURVA GLICEMICA 6 HORAS 8 DOSAGENS

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: ENZIMATICO PREPARO: JEJUM OBRIGATORIO DE 8 HORAS MATERIAL: PLASMA FLUORETADO OU SORO.
O MATERIAL DEVERÁ SER PROCESSADO LOGO APÓS A COLETA.
RECIPIENTE: FLUORETO OU SORO VOLUME: MINIMO 2 ML.
CONSERVAÇÃO: PLASMA FLUORETADO: ATE 2 DIAS REFRIGERADO ENTRE 2º E 8º C.
SORO: ATE 12 HORAS REFRIGERADO ENTRE 2º E 8º C.
REJEIÇÃO: HEMOLISE ACENTUADA TRANSPORTE: REFRIGERADO ENTRE 2º E 8º C.
O TESTE DEVE SER REALIZADO SOMENTE PELA MANHÃ (INÍCIO ATÉ ÀS 11H).
- O PACIENTE DEVE FAZER DIETA SEM RESTRIÇÕES, COM UM MÍNIMO DE 150G DE CARBOIDRATOS, NOS 3 DIAS QUE ANTECEDEM AO TESTE, SENDO INDICADA ATIVIDADE FÍSICA NORMAL NESSE PERÍODO.
- O TESTE DE TOLERÂNCIA A GLICOSE NÃO É RECOMENDADO PARA PACIENTES HOSPITALIZADOS, AGUDAMENTE DOENTES OU INATIVOS.
- INDIVÍDUOS SUBMETIDOS A CIRURGIA DE REDUÇÃO DE ESTÔMAGO, BARIÁTRICA (OBESIDADE) OU RETIRADA TOTAL OU PARCIAL DO ESTÔMAGO POR OUTRAS CAUSAS (CÂNCER GÁSTRICO, ÚLCERA, ETC.
), REALIZARÃO TESTE SOMENTE COM AUTORIZAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA SUPERVISÃO.
APLICAÇÃO CLÍNICA: DIAGNOSTICO E ACOMPANHAMENTO DE DIABETES MELLITUS OU CONDIÇÕES HIPERGLICEMICAS.
DIAGNOSTICO DE CONDIÇÕES QUE LEVAM A PROCESSOS DE HIPOGLICEMIA.
A GLICOSE É A FONTE ENERGETICA PRIMARIA DO ORGANISMO.
O TECIDO NERVOSO DEPENDE EXCLUSIVAMENTE DESTA MOLECULA COMO FONTE ENERGETICA (NÃO É CAPAZ DE ESTOCAR CARBOIDRATOS, NEM TRANSFORMA-LO A PARTIR DE OUTRAS FONTES), PORTANTO A CONCENTRAÇÃO DE GLICOSE É CRÍTICA NA MANUTENÇAÕ DA CAPACIDADE VITAL.


CTLF - CAPACIDADE TOTAL DE LIGACAO DE FERRO

PRAZO: 5.00
SETOR:.
.
BIOQUIMICA SINONIMIA:.
CAPAC.
LATENTE LIGACAO FERRO/CAPACIDADE TOTAL DE LIGAÇÂO DO FERRO/ CTLF/ CAPACIDADE DE COMBINAÇÃO DO FERRO/ CAPACIDADE DE FIXAÇÃO DO FERRO/ TIBC METODO:.
.
COLORIMÉTRICO PREPARO:.
.
ADULTO: JEJUM DE 8 HORAS.
CRIANÇA: JEJUM 4 HORAS OU INTERVALO DE MAMADEIRA MATERIAL:.
.
SANGUE (SORO).
RECIPIENTE:.
.
TUBO COM GEL INTERFERENTES:.
.
.
HEMÓLISE, LIPEMIA TRANSPORTE:.
.
.
.
.
.
.
.
REFRIGERADO.
REJEIÇÃO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
HEMÓLISE, LIPEMIA REFERÊNCIA: CAPACIDADE LATENTE: 140 A 280 Micrograma/dl CAPACIDADE TOTAL: 250 A 410 Micrograma/dl SATURAÇÃO DA TRANSFERRINA:20 A 50% APLICAÇÃO CLÍNICA :TEOR DE TRANSFERRINA É TRADICIONALMENTE MENSURADO COMO A CAPACIDADE DA TRANSFERRINA.
NORMALMENTE, 1/3 DOS SITIOS DE LIGAÇÃO DA TRANSFERRINA ESTÃO OCUPADOS PELO FERRO.
ASSIM, A TRANSFERRINA TEM UMA CONSIDERÁVEL CAPACIDADE LATENTE DE LIGAÇÃO AO FERRO, A CHAMADA CAPACIDADE DE COMBINAÇÃO LATENTE OU LIVRE DO FERRO.
A QUANTIDADE MÁXIMA DE FERRO QUE PODE SE LIGAR À TRANSFERRINA É A CAPACIDADE TOTAL DE COMBINAÇÃO DO FERRO (CTCF).
ENCONTRA-SE ELEVADA NA ANEMIA FERROPRIVA, NO USO DE ANTICONCEPCIONAIS E GRAVIDEZ.
VALORES NORMAIS OU BAIXOS SÃO ENCONTRADOS NAS ANEMIAS DE DOENÇAS CRÔNICAS, SIDEROBLÁSTICAS, HEMOLÍTICAS, HEMOCROMATOSE, DESNUTRIÇÃO, ESTADOS INFLAMATÓRIOS E NEOPLASIAS.
A CTCF AUMENTA AO MESMO TEMPO QUE A QUEDA DO FERRO SÉRICO NA ANEMIA FERROPRIVA, PODENDO, ÀS VEZES, PRECEDÊ-LO.
CERCA DE 30% A 40% DOS PACIENTES COM ANEMIA FERROPRIVA CRÔNICA TÊM CTCF NORMAL.
A FERRITINA É MAIS SENSÍVEL QUE A CAPACIDADE DE COMBINAÇÃO DO FERRO PARA AVALIAÇÃO DA FALTA OU EXCESSO DE FERRO.
ATUALMENTE, IMUNOENSAIOS PODEM DETERMINAR DIRETAMENTE A TRANSFERRINA, HAVENDO BOA CORRELAÇÃO ENTRE OS NÍVEIS DE TRANSFERRINA E A CTCF.


CTX - CTX - TELOPEPTIDEO C

PRAZO: 4.00
*** ATUALIZADO EM 27/10/2009 THIAGO SOARES *** NOME DO EXAME: C-TELOPEPTIDEO COLHER SOMENTE PELA MANHÃ.
SETOR : TERCEIRIZADO.
FEITO SOMENTE 3ª E 5ª FEIRA ( 4 DIAS ) SINONÍMIA: C TELEPEPTÍDEO, INTERLIGADORES N TERMINAIS, CTX, NTX, PDCO, MÉTODO : ELETROQUIMIOLUMINESCÊNCIA PREPARO: JEJUM DE 8 HORAS MATERIAL: PLASMA RECIPIENTE: TUBO COM EDTA.
COLHER TUBO EM EDTA, CENTRIFUGAR E ENVIAR O PLASMA SEPARADO VOLUME : 2,0 mL TRANSPORTE : REFRIGERADO CONSERV.
: PLASMA: ATÉ 8 DIAS REFRIGERADO SORO: ATÉ 8 HORAS REFRIGERADO OBSERVAÇÃO: COLHER PREFERENCIALMENTE PLASMA EM EDTA, VALORES DE REFERÊNCIA: - HOMEM : DE 30 A 50 ANOS : 0,016 A 0,584 ng/mL DE 50 A 70 ANOS : INFERIOR A 0,704 ng/mL ACIMA DE 70 ANOS: INFERIOR A 0,854 ng/mL - MULHER: PRÉ-MENOPAUSA : 0,025 A 0,573 ng/mL PÓS-MENOPAUSA : 0,104 A 1,008 ng/mL APLIC.
CLÍNICA: É UM PRODUTO DA DEGRADAÇÃO DO COLÁGENO, MARCADOR DA REABSORÇÃO ÓSSEA.
O COLÁGENO TIPO I É SINTETIZADO A PARTIR DE SEU PRECURSOR (PRO- COLÁGENO TIPO I) QUE CONTEM EXTENSÕES N E C-TERMINAIS.
APÓS UM PROCESSO COMPLEXO, O PRO-COLÁGENO É CONVERTIDO A COLÁGENO PELA REMOÇÃO ENZIMÁTICA DOS N- E C- PRO-PEPTIDEOS.
ESTES FRAGMENTOS SÃO DENOMINADOS TELOPEPTIDEOS.
NIVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS EM CRIANÇAS, PACIENTES COM OSTEOPOROSE, OSTEOMALÁCIA, OSTEODISTROFIA RENAL, EM USO DE CORTICOIDE, DOENÇA DE PAGET, HIPERPARATIREOIDISMO E HIPERTIREOIDISMO.
É ÚTIL PARA MONITORIZAÇÃO DA RESPOSTA AO TRATAMENTO BIFOSFONATOS E ESTRÓGENOS REDUZEM OS NÍVEIS DE TELOPEPTIDEOS, APÓS 3 MESES DE TERAPIA ADEQUADA, EM 30 A 40%.
NÍVEIS ESTÃO DIMINUÍDOS EM INDIVIDUOS COM HIPOPARATIREOIDISMO.
PICO DE EXCREÇÃO OCORRE ENTRE 5 E 8 HORAS, REFLETINDO UM AUMENTO DO TURNOVER ÓSSEO PELA NOITE, COM NIVEIS MAIS BAIXOS ENTRE 14 E 23 HORAS.


CULFU - FUNGOS CULTURA

PRAZO: 23.00
ATUALIZADO EM 26/07/2010 FABIOLA LIMEIRA NOME DO EXAME: CULTURA DE FUNGOS - NÃO REALIZAMOS ANTIFUNGIGRAMA SETOR:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
BACTERIOLOGIA, FEITO DIÁRIO ( LIBERAÇÃO EM 27 DIAS ) SINONIMIA:.
.
.
.
.
.
.
.
CULTURA PARA LEVEDURAS; CULTURA MICOLÓGICA MÉTODO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
ISOLAMENTO EM MEIOS ESPECÍFICOS PREPARO:.
.
.
.
.
.
.
.
.
NÃO FAZER USO DE ANTIFÚNGICO VIA ORAL A PELO MENOS 30 DIAS OU TÓPICO POR 7 DIAS, QUALQUER MEDICAMENTO DEVE SER SUSPENSO SOMENTE PELO MÉDICO COLETA:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
PELE: 1) LESÕES SECAS E DESCAMATIVAS - RASPAR NAS BORDAS OU AS LESÕES RECENTES QUANDO ELAS FOREM MÚLTIPLAS.
PROCURAR OBTER O MÁXIMO DE MATERIAL POSSÍVEL; 2) LESÕES VESICULOSAS E BOLHAS - COLHER O REVESTIMENTO DA BOLHA E ENVIAR EM SALINA ESTÉRIL.
PÊLOS: COLHER OS PÊLOS QUEBRADIÇOS E SEM BRILHO.
OS CABELOS INFECTADOS SAEM FACILMENTE, OS NORMAIS SÃO DIFÍCEIS DE REMOVER.
RASPAR A BORDA DE LESÕES DO COURO CABELUDO , PRINCIPALMENTE NAS BORDAS DAS LESÕES.
UNHAS: RASPAR NA REGIÃO LIMITE ENTRE A PARTE DA UNHA SAUDÁVEL E UNHA ACOMETIDA.
OBTER SEMPRE QUE HOUVER, MATERIAL SUBUNGUEAL.
MATERIAL:.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
RASPADO DE LESÕES DE PELE, UNHAS, PELOS, SECREÇÕES URETRAIS, SECREÇÃO DE FERIDAS, ESCARRO, LAVADO BRONQUICO, SANGUE (HEPARINA), LÍQUOR, URINA, FEZES, PUNÇÃO DE LINFONODOS, BIÓPSIA DE LESÕES.
CONSERVAÇÃO:.
.
ATÉ 48h PARA BIÓPSIA DE TECIDO, ESCARRO E URINA, ENTRE 2º E 8º C (REFRIGERADO).
LÍQUOR E SANGUE NÃO DEVEM SER REFRIGERADOS: ENVIAR EM TEMPERATURA AMBIENTE.
PÊLOS, RASPADO CUTÂNEO DESCAMATIVO E UNHA, TAMBÉM EM TEMPERATURA AMBIENTE.
TRANSPORTE:.
.
.
.
PELE, PÊLOS E UNHAS - ENVIAR EM PLACAS DE PETRI, FRASCOS BEM VEDADOS E TEMPERATURA AMBIENTE, DEMAIS AMOSTRAS ENVIAR EM SALINA ESTÉRIL OU NO MEIO DE TRANSPORTE STUART OU EM FRASCO ESTÉRIL.
DE UM MODO GERAL AS AMOSTRAS DEVEM SER ENVIADAS SOB REFRIGERAÇÃO.
(USO EXCLUSIVO DO SETOR TÉCNICO)

APLICAÇÕES CLÍNICAS: UTILIZADA NO DIAGNÓSTICO DAS INFECÇÕES FÚNGICAS EM DIVERSOS MATERIAIS CLÍNICOS, COM IDENTIFICAÇÃO DO AGENTE CAUSAL.



CULT AUT - CULTURA

PRAZO: 7.00


CULTBAC - BACILO DIFTERICO CULTURA

PRAZO: 7.00
SETOR:MICROBIOLOGIA METODO: PREPARO: SWAB DE OROFARINGE: RECOMENDADO PARA PESQUISA DE PORTADORES ASSINTOMATICOS, NOS EXAMES DE CONVALESCENTES E CONTACTANTES.
SE HOUVER PRESENÇA DE PSEUDOMEMBRANA: LEVANTA-LA SEM REMOVÊ-LA E COLHER O MATERIAL POR BAIXO.
FAZER TAMBÉM ESFREGAÇOS EM LÂMINA (MÍNIMO DOIS).
NÃO É ACONSELHÁVEL REMOVER A PSEUDOMEMBRANA.
SECREÇÃO DA NASOFARINGE (PROCEDIMENTO MÉDICO): COLOCAR LUVAS E MÁSCARA FACIAL PROTETORA.
PASSAR UM SWAB DOBRADO NA PONTA (SWAB METÁLICO) POR TRÁS DA ÚVULA, ACIMA DA OROFARINGE OU INTRODUZIR UM SWAB FLEXÍVEL SUAVE E PROFUNDAMENTE PELO NARIZ, ALCANÇANDO A NASOFARINGE.
GIRAR O SWAB DELICADAMENTE PARA ABSORÇÃO DO MATERIAL MATERIAL: DIVERSOS RECIPIENTE: VOLUME: CONSERVACAO: ATE 18 HORAS AMOSTRAS ENVIADAS EM MEIO DE LOEFFLER.
ATE 24 HORAS AMOSTRAS ENVIADAS EM MEIO DE STUART.
TRANSPORTE: REJEICAO:

CULTMYCO - CULTURA DE MYCOBACTERIUM

PRAZO: 10.00


CULTSTP - CULTURA STREPTOCOCCUS DO GRUPO B

PRAZO: 7.00


CULTURIN - CULTURA - URINA

PRAZO: 7.00


CUPOR - COPROPORFIRINA FECAL, PESQUISA

PRAZO: 7.00
SETOR : TERCEIRIZADO METODO :COLORIMÉTRICO PREPARO : COLETAR FEZES MATERIAL : FEZES RECEPIENTE : FRASCO DE FEZES VOLUME :2,0 G CONSEVAÇÃO : REFRIGERADO TRANSPORTE : REFRIGERADO REJEIÇÃO :TRANSPORTE E CONSERVAÇAO INADEQUADO

CUREA - UREAPLASMA, CULTURA

PRAZO: 5.00
*** ATUALIZADO EM 14/07/2010 CLAUDIANA DIAS *** NOME DO EXAME: CULTURA PARA UREAPLASMA (Ureaplasma urealyticum) SOLICITAR MEIO DE TRANSPORTE P/ ALMOXARIFADO QUANDO O MATERIAL FOR SECREÇÃO.
SE O MATERIAL FOR URINA DE 1º JATO E LÍQUIDO SEMINAL, ENVIAR O MATERIAL COLHIDO PELO CLIENTE PARA O SETOR TÉCNICO.
SETOR : BACTERIOLOGIA.
RECEBIMENTO DIÁRIO.
( 8 DIAS ) MÉTODO : ISOLAMENTO EM MEIO DE CULTURA PREPARO : MULHERES-NÃO ESTAR MENSTRUADA NEM EM USO DE CREME VAGINAL MATERIAL : SECREÇÃO URETRAL, SECREÇÃO ENDOCERVICAL, URINA 1º JATO E LÍQ.
SEMINAL INSTRUÇÕES: AGUARDAR 7 DIAS APÓS O USO DE ANTIBIÓTICOS OU CONFORME ORIENTAÇÃO MÉDICA.
MATERIAL URETRAL: O PACIENTE DEVE VIR PELA MANHÃ ANTES DE URINAR OU PERMANECER NO MÍNIMO 4 HORAS SEM URINAR.
OBS.
: A SENSIBILIDADE DA AMOSTRA COLHIDA NA URETRA É BEM MAIOR QUE A SENSIBILIDADE DO 1º JATO DE URINA.
COLETA: OS UREAPLASMAS POSSUEM FORTE AFINIDADE POR MEMBRANAS MUCOSAS.
É IMPORTANTE RETIRAR O EXCESSO DE SECREÇÃO, OBTENDO TAMBÉM CÉLULAS.
RECOMENDAMOS COLHER EM PRIMEIRO LUGAR O GRAM, CULTURA PARA GERMES BANAIS, GONOCOCOS, DIRETO A FRESCO, ETC.
DEIXANDO A CULTURA PARA MICOPLASMA/UREAPLASMA EM PENÚLTIMO LUGAR E CHLAMYDIA EM ÚLTIMO LUGAR, SE HOUVER.
NOS CASOS EM QUE O MÉDICO SOLICITA CULTURA NO ESPERMA OU 1º JATO, RECOMENDA-SE QUE, SE POSSÍVEL, SEJA ENVIADO UM SWAB ENDOURETRAL CUJA SENSIBILIDADE É BEM MAIOR.
NOS CASOS EM QUE FOR MULHER PASSAR O ESPÉCULO, TIRAR TODO O EXCESSO DE SECREÇÃO E COLHER A AMOSTRA ESFREGANDO O SWAB NO ENDOCÉRVICE.
INTERF.
: USO DE ANTIBIÓTICO OU CREME VAGINAL CONSERV.
: MEIO DE CULTURA PARA SECREÇÃO: 24 HORAS REFRIGERADO URINA DE 1º JATO E ESPERMA: 24 HORAS EM TEMP.
AMBIENTE REJEIÇÃO : MATERIAL EM STUART

CURVATOT - CURVA DE CREATINOFOSFOQUINASE TOTAL - CPK

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: CINÉTICO PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: MINIMO DE 2ML CONSERVAÇÃO; ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2° A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADOS E HEMOLISE INTENSA APLICAÇÃO CLINICA: ENZIMA ENCONTRADA PRINCIPALMENTE NA MUSCULATURA ESTRIADA, CÉREBRO E CORAÇÃO.
É UM MARCADOR SENSÍVEL, MAS INESPECÍFICO DE LESÃO MIOCÁRDICA.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS NO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO, MIOCARDITE, HIPERTERMIA MALIGNA, DISTROFIA MUSCULAR, EXERCÍCIO FÍSICO, DERMATOPOLIMIOSITE, RABDOMILOISE, EM TRAUMAS E INJEÇÕES MUSCULARES.


CURVCK1 - CREATINOFOSFOQUINASE 1 HORA

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: CINÉTICO PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: MINIMO DE 2ML CONSERVAÇÃO; ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2° A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADOS E HEMOLISE INTENSA APLICAÇÃO CLINICA: ENZIMA ENCONTRADA PRINCIPALMENTE NA MUSCULATURA ESTRIADA, CÉREBRO E CORAÇÃO.
É UM MARCADOR SENSÍVEL, MAS INESPECÍFICO DE LESÃO MIOCÁRDICA.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS NO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO, MIOCARDITE, HIPERTERMIA MALIGNA, DISTROFIA MUSCULAR, EXERCÍCIO FÍSICO, DERMATOPOLIMIOSITE, RABDOMILOISE, EM TRAUMAS E INJEÇÕES MUSCULARES.


CURVCK12 - CREATINOFOSFOQUINASE 12 HORAS

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: CINÉTICO PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: MINIMO DE 2ML CONSERVAÇÃO; ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2° A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADOS E HEMOLISE INTENSA APLICAÇÃO CLINICA: ENZIMA ENCONTRADA PRINCIPALMENTE NA MUSCULATURA ESTRIADA, CÉREBRO E CORAÇÃO.
É UM MARCADOR SENSÍVEL, MAS INESPECÍFICO DE LESÃO MIOCÁRDICA.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS NO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO, MIOCARDITE, HIPERTERMIA MALIGNA, DISTROFIA MUSCULAR, EXERCÍCIO FÍSICO, DERMATOPOLIMIOSITE, RABDOMILOISE, EM TRAUMAS E INJEÇÕES MUSCULARES.


CURVCK18 - CREATINOFOSFOQUINASE 18 HORAS

PRAZO: 0.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: CINÉTICO PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: MINIMO DE 2ML CONSERVAÇÃO; ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2° A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADOS E HEMOLISE INTENSA APLICAÇÃO CLINICA: ENZIMA ENCONTRADA PRINCIPALMENTE NA MUSCULATURA ESTRIADA, CÉREBRO E CORAÇÃO.
É UM MARCADOR SENSÍVEL, MAS INESPECÍFICO DE LESÃO MIOCÁRDICA.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS NO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO, MIOCARDITE, HIPERTERMIA MALIGNA, DISTROFIA MUSCULAR, EXERCÍCIO FÍSICO, DERMATOPOLIMIOSITE, RABDOMILOISE, EM TRAUMAS E INJEÇÕES MUSCULARES.


CURVCK24 - CREATINOFOSFOQUINASE 24 HORAS

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: CINÉTICO PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: MINIMO DE 2ML CONSERVAÇÃO; ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2° A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADOS E HEMOLISE INTENSA APLICAÇÃO CLINICA: ENZIMA ENCONTRADA PRINCIPALMENTE NA MUSCULATURA ESTRIADA, CÉREBRO E CORAÇÃO.
É UM MARCADOR SENSÍVEL, MAS INESPECÍFICO DE LESÃO MIOCÁRDICA.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS NO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO, MIOCARDITE, HIPERTERMIA MALIGNA, DISTROFIA MUSCULAR, EXERCÍCIO FÍSICO, DERMATOPOLIMIOSITE, RABDOMILOISE, EM TRAUMAS E INJEÇÕES MUSCULARES.


CURVCK6 - CREATINOFOFOQUINASE 6 HORAS

PRAZO: 3.00
SETOR: BIOQUIMICA MÉTODO: CINÉTICO PREPARO: JEJUM NÃO OBRIGATORIO MATERIAL: SORO RECIPIENTE: TUBO SORO GEL VOLUME: MINIMO DE 2ML CONSERVAÇÃO; ATÉ 7 DIAS REFRIGERADO DE 2° A 8° TRANSPORTE: REFRIGERADO REJEIÇÃO: CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE INADEQUADOS E HEMOLISE INTENSA APLICAÇÃO CLINICA: ENZIMA ENCONTRADA PRINCIPALMENTE NA MUSCULATURA ESTRIADA, CÉREBRO E CORAÇÃO.
É UM MARCADOR SENSÍVEL, MAS INESPECÍFICO DE LESÃO MIOCÁRDICA.
NÍVEIS ELEVADOS SÃO ENCONTRADOS NO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO, MIOCARDITE, HIPERTERMIA MALIGNA, DISTROFIA MUSCULAR, EXERCÍCIO FÍSICO, DERMATOPOLIMIOSITE, RABDOMILOISE, EM TRAUMAS E INJEÇÕES MUSCULARES.


CXGM - CAXUMBA IGG E IGM, ANTIC ANTI

PRAZO: 7.00